José Vanderlei Baumgratz prestou depoimento ontem na CPI da Câmara de Vereadores de Bom Princípio - Reprodução/FN

A CPI instalada na Câmara de Vereadores de Bom Princípio, referente ao contrato de gestão entre município e Hospital São Pedro Canísio, teve mais uma reunião ontem, terça-feira, com transmissão ao vivo e que está gravada no facebook da Câmara. Na ocasião foi tomado o depoimento de José Vanderlei Baumgratz, presidente da Associação Beneficente São Pedro Canísio, mantenedora do hospital de Bom Princípio. Ele respondeu as perguntas dos três vereadores integrantes da CPI, Beatriz Inês Bohn (Progressista), Fábio Juwer (MDB) e Renato José Krewer (PSDB).

Vanderlei diz que atua no hospital faz 26 anos, sendo que nos últimos 15 anos é o presidente e responsável por coordenar os trabalhos, atuando de forma voluntária, sem receber salários. Explicou sobre o funcionamento do Conselho de Administração do hospital. Sobre a destinação de recursos, garantiu que tudo que é recebido é aplicado de forma transparente. Citou que o hospital tem contratos com os municípios de Bom Princípio, Tupandi e São Vendelino. Já sobre o hospital de Canela, informou que a Associação São Pedro Canísio não tem contrato de prestação de serviços e nem prestou qualquer atendimento. “Fico triste de alguém ventilar alguma ligação entre Canela e Bom Princípio”, disse, sobre as notícias de denúncias de irregularidades apuradas pela Polícia Civil e divulgadas na imprensa.

Sobre as metas estipuladas no contrato de gestão do hospital e se são cumpridas pelo hospital, disse que não é sua função participar das reuniões. Por isso não soube responder se as metas foram atingidas. Disse que todos os equipamentos comprados com verba pública estão documentados. Não soube responder sobre quem determina sobre salários pagos aos profissionais e quando perguntado se o hospital possui dívidas pendentes garantiu que a casa de saúde está em dia com seus compromissos. Lembrou que o hospital está em obras, com a construção de mais quinze leitos, tendo para isso alguns recursos aplicados. Sobre o dinheiro que vem da Prefeitura de Bom Princípio, disse que só é pago após o hospital apresentar notas dos serviços prestados. E que despesas também só são pagas mediante apresentação de notas fiscais. Explicou que compras, como de medicamentos, são feitas após tomada de preços. Indagado sobre a não aplicação imediata de recursos destinados ao tratamento de casos de coronavírus, Vanderlei afirmou que não tinha como comprar imediatamente por falta de disponibilidade de materiais. Disse desconhecer sobre valores aplicados no mercado financeiro.

Em suas considerações finais, José Vanderlei Baumgratz disse que foi feito um levantamento das contas do hospital, sendo apresentado um relatório bastante positivo, mostrando que o Hospital São Pedro Canísio é referência. Negou qualquer irregularidade ou desvio de recursos.

Para a próxima terça-feira está prevista uma reunião interna e depois ainda deve ser ouvida a diretora do hospital, Adriana Seibel, para serem concluídos os trabalhos e apresentado o relatório final para ser analisado pelos vereadores.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here