Comitiva do Caí participou de reunião hoje com representantes do Governo do Estado - Crédito: Prefeitura

A possibilidade de isenção na tarifa para moradores locais foi à principal novidade na reunião que ocorreu na manhã desta segunda-feira, dia 18, em Porto Alegre. Uma comitiva de São Sebastião do Caí, incluindo o prefeito Júlio Campani e os vereadores Elson Lopes, João Marcos Duarte Guará e Asir André Hartmann participou do encontrou agendado pelo deputado federal Lucas Redecker.

Conforme o prefeito, o secretário extraordinário de parcerias do Estado, Leonardo Busatto, que coordena o processo das concessões, e o diretor do Departamento de Parcerias Público-Privadas, Rafael Ramos, informaram que ainda não houve uma definição quanto ao local das novas praças de pedágio, o que deve ocorrer até novembro. Campani disse que a principal novidade foi justamente a possibilidade de não cobrar dos moradores do município em que for colocado o pedágio, como acontece atualmente em Portão. Até então isso era descartado pelo Governo do Estado, que falava apenas em descontos de até 20% para usuários mais frequentes. A isenção, conforme Campani, dependeria de um projeto de lei do Estado. “Eles viram que no atual modelo não tem como avançar”, sobre a resistência dos prefeitos e municípios, que não aceitam receber os novos pedágios. Entre os maiores entraves está o alto valor das tarifas, que passarão a ser cobradas nos dois sentidos.

No projeto de concessão, Governo propõe que pedágio no Portão seja desativado e dividido em duas novas praças, o que tem gerado protestos
– Crédito: Jefferson Bernardes/Agencia Preview/EGR

Com a concessão, o pedágio de Rincão do Cascalho, em Portão, será desativado. E o Vale do Caí ganharia dois novos pedágios. Um deles deverá ser na RS 122. Entre as alternativas estão o quilômetro 4, no Areião, em São Sebastião do Caí, próximo da divisa com Portão, ou no KM 19,5, junto da divisa entre Caí e Bom Princípio. Já a outra praça de pedágio deve ficar entre Montenegro e Capela de Santana, na RS 240 ou na RSC 287.

A intenção do Governo era já ter lançado o edital em setembro e até o final do ano realizar o leilão para definir as empresas vencedoras das concessões das rodovias estaduais. Mas o cronograma de implantação está atrasado devido à resistência dos municípios em receber as novas praças. E como no próximo ano terá eleição, fica mais difícil o processo avançar, já que terá muita repercussão política.

Os valores elevados das tarifas, que estão sendo propostos, geram protestos. Se o pedágio for instalado no Areião, por exemplo, a tarifa proposta é de R$ 9,62. E na Capela de R$ 7,08. Atualmente é cobrado R$ 6,50 para automóveis no pedágio da EGR no Portão, com cobrança somente num sentido e com isenção para moradores do município. Na BR 386, em Montenegro, o pedágio custa R$ 4,70, mesmo valor da BR 290.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here