Lucas Bitello, de 36 anos, morreu no local - Crédito: Facebook

O prefeito de Capela de Santana, José Alfredo Machado, decretou luto oficial de três dias no município em razão da morte trágica do servidor Lucas Rieth Bitello.

Bitello, de 36 anos, trabalhava como vigilante na Prefeitura. Bastante conhecido, era também atuante na causa animal, bombeiro voluntários e ex-militar do Exército Brasileiro.

O vigilante foi morto no primeiro homicídio do ano na região. Conforme informações da Polícia Civil, o crime ocorreu em torno de 10h30, na localidade de Divisa, próximo da Cervejaria Barley. No local teria ocorrido uma briga envolvendo familiares. No desentendimento, um cunhado esfaqueou Bitello. Ao tentar intervir, a irmã do acusado também foi esfaqueada na região do abdômen.

Segundo os PMs, Bitello estava caído ao solo e chegou falar que o cunhado tinha o atingido no peito, próximo ao pescoço. A irmã dele, Maria Liciane Stroher Both, de 35 anos, estava próxima, também esfaqueada. Os dois foram socorridos pelo Samu.

A mulher foi levada para o Hospital Montenegro em estado grave. A equipe médica do Samu tentou reanimar Bitello, mas ele não resistiu e veio a falecer.

A Brigada Militar informa que o acusado, de 26 anos, foi preso em flagrante por homicídio. Ele foi localizado na frente de sua casa. Segundo os PMs, estava de posse de uma faca, de cerca de 20 centímetros de lâmina, além de uma espingarda de chumbinho. Ao receber voz de prisão, se entregou, levantando as mãos e virando de costas, no pátio de sua casa.

De acordo com a Polícia Civil, o desentendimento seria motivado por uma rixa envolvendo disputa por terra. Testemunhas informaram que envolvidos já vinham trocando ameaças faz alguns dias.

Bitello morava na Rua Pedro Augusto Mentz, ao lado do cunhado e autor do crime. Era casado com outra irmã de Liciane e do acusado. Deixa três filhos, sendo duas gêmeas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here