Crédito: Reprodução

Diante do grande avanço do número de casos de Covid-19 no país e da pressão popular pela aquisição de vacinas, ontem, quarta-feira, dia 10, o presidente Jair Bolsonaro assinou projeto de lei que autoriza estados, municípios e a iniciativa privada a adquirirem os imunizantes com registro ou autorização de uso temporário no país. Apesar disso, diversos consórcios intermunicipais já vinham articulando ações para a compra de vacinas.

É o caso do CIS/Caí, que está dando andamento aos atos jurídicos para que os investimentos possam ser realizados pelas prefeituras. O prefeito de Salvador do Sul, Marco Eckert (MDB), que também preside a entidade regional, reforçou, em entrevista ao programa Realidade, da Rádio América, que a ação foi adotada em razão da falta de celeridade do Governo Federal.

“Defendo que os municípios e também a iniciativa privada tenham acesso à compra das vacinas, para que o quanto antes possamos voltar à normalidade. Independentemente de onde venha, as pessoas precisam ser vacinadas”, aponta. A comercialização das doses em farmácias também é vista como uma alternativa viável por Eckert.

O prefeito salvadorense ainda mostrou preocupação com a alta de internações hospitalares em razão da pandemia, apontando que ações de fiscalização foram intensificadas para o cumprimento dos protocolos da Bandeira Preta. “O sistema de saúde está no limite, entrando em colapso. Essa informação precisa chegar na população. Acho que o comércio poderia ficar aberto, mas as pessoas deveriam sair de casa só em caso de necessidade. Elas estão colocando suas vidas em risco e de suas famílias”, completou.

O presidente da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen (PT), prefeito de Taquari, afirma que já existem parcerias com a farmacêutica Moderna e com a Sputnik no Estado. Está programada uma conversa com o Butantan, com a participação do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza (MDB).

Também na Rádio América, Maneco, criticou a falta de planejamento do Governo Federal para a aquisição das vacinas. “Sequer há um cronograma concreto para enviar as doses para estados e municípios. Isso faz com que o governador e os prefeitos se movimentem na busca de alternativas”, assinalou. Ainda conforme ele, 420 municípios gaúchos já manifestaram interessem na aquisição direta dos imunizantes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here