Reprodução/FN

O prefeito de São Sebastião do Caí, Júlio Campani, fez uma manifestação através de áudio gravado e postado no facebook da Prefeitura, esclarecendo sobre a questão do tratamento precoce contra o coronavírus. O tema é polêmico, tanto que gerou dezenas de comentários na postagem, já que o assunto divide opiniões, inclusive entre os próprios médicos. Alguns municípios disponibilizam o chamado kit Covid composto por medicamentos como ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina. Entretanto, o uso dos medicamentos não é indicado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para esse tipo de tratamento.

No áudio, Campani teceu alguns comentários sobre o tratamento precoce. Diz que tem escutado muitos comentários sobre por que a Secretaria Municipal da Saúde não recomenda a utilização do kit, que é tão falado. Deixa claro que o prefeito, o vice-prefeito e a secretária da saúde não têm o poder de determinar aos médicos que prescrevam o tratamento precoce. “Estamos conversando com os médicos, trocando idéias, recomendando e sugerindo. Mas a responsabilidade na prescrição dos medicamentos é exclusiva dos médicos. Não temos como exigir que prescrevam para cada um que procura a assistência na Secretaria Municipal da Saúde”, esclarece. Ressaltou ainda que os médicos têm alertado que existe uma grande divergência na literatura médica, já que alguns médicos defendem o tratamento precoce e outros entendem que os medicamentos não são eficazes.

2 COMENTÁRIOS

  1. Médica infectologista na linha de frente há um ano em Natal, tratou mais de trezentos pacientes com o tal coquetel e nenhum morreu ou teve complicações. O nome dela é Roberta Lacerda. só procurar no YouTube . Falta humildade desses médicos em admitir que não sabem nada e nem estão preocupados em saber… aqui no 24h de cidreira parece que ainda são acadêmicos, é pior ainda, acadêmicos preguiçosos que nem se dão ao trabalho de estudar.

  2. POIS É. NÃO SÃO OS MÉDICOS QUE TÊM DE DECIDIR QUAL MEDICAMENTO SERVE OU NÃO SERVE. ELES NÃO SÃO CIENTISTAS. QUEM TEM DE DETERMINAR ISSO SÃO AS INSTITUIÇÕES DE PESQUISA. PRA ISSO EXISTEM. SÓ SÃO LIBERADOS MEDICAMENTOS DEPOIS DE TESTADOS E APROVADOS PELA ANVISA E POR QUEM FAZ ESSES TESTES. ENTREM EM CONTATO COM A FDA DOS ESTADOS UNIDOS E VEJAM LÁ SE FOI LIBERADO PRA COVID. SIM. ESSES MEDICAMENTOS EXISTEM. MAS NÃO FORAM INVENTADOS PRA COVID. ELES SÃO USADOS PRAS DOENÇAS QUE JÁ EXISTIAM E PRA ELAS SSO EFICIENTES. MAS NÃO FORAM APROVADOS PRA COVID, QUE É O QUE NOS INTERESSA. MOSTRA AÍ A LIBERAÇÃO DA ANVISA, SENHORA MÉDICA INFECTOLOGISTA, E APROVEITA PRA COLOCAR O SOBRENOME E O NÚMERO DO REGISTRO NO CRM. TODOS SABEM PORQUE ESSES MÉDICOS ESTÃO RECEITANDO ESSA PARAFERNÁLIA DE MEDICAMENTOS SEM COMPROVAÇÃO: O CFM É PRESIDIDO POR UM BOLSONARISTA. E ACREDITO QUE ESTÁ DISSEMINADO PELOS CRMs TAMBÉM. MAS NÓS NÃO TEMOS NADA A VER COM ISSO. QUE SE DANEM. SÓ NÃO LEVEM JUNTO PESSOAS QUE ESTÃO FICANDO DOENTES E ATÉ MORRENDO POR CAUSA DESSE FANATISMO NOJENTO. TENTARAM, SIM, ME MEDICAR COM ESSE TAL KIT NA SECRETARIA DA SAÚDE. FIZ O TESTE PRA COVID. SÓ ACEITEI A AZITROMICINA PORQUE É UM ANTIBIÓTICO QUE FUNCIONA PERFEITAMENTE PRA AMIDALITE, FARINGITE E LARINGITE, QUE ERA O QUE EU TINHA NO MOMENTO. E RESOLVEU. NÃO ERA COVID. DEPOIS QUE ESSE TERREMOTO PASSAR, ESPERO QUE ESSES IRRESPONSÁVEIS TODOS SEJAM DEVIDAMENTE DENUNCIADOS POR TENTATIVA DE ASSASSINATO E ATÉ ASSASSINATO. NOJO.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here