- Imagem ilustrativa/internet

A Polícia Civil segue investigando a denúncia de tortura que teria como vítima um menino de 9 anos em Tupandi.

Conforme a Polícia, a criança estaria morando com um tio e companheira dele, já que a mãe do garoto teria perdido a guarda. A suspeita, conforme o delegado Marcos Eduardo Pepe, é que a companheira, que está grávida, estaria realizando maus-tratos ao garoto, com a conivência do tio. Segundo a Polícia, o menino apresenta muitas marcas e hematomas no corpo, indicativos de tortura. E por isso o menino teria voltado a viver com a mãe biológica.

Defesa do casal nega tortura

A advogada Mara Kaspary assumiu a defesa da acusada, pois entende que não está configurado o crime de tortura. “Analisando os fatos, tenho plena convicção de que os tios da criança, que, afirmam ter a guarda judicial do sobrinho, jamais agiram no intuito de praticar o crime de tortura. Não se nega que possam ter excedido na forma encontrada para melhorar o comportamento do menor”, afirma a advogada. “Com a conclusão do inquérito, as provas devem levar a esta conclusão”, acredita, ressaltando que toda a comunidade conhece o caráter dos tios e o seu empenho em dar o melhor ao sobrinho, o qual há quase 5 anos tem o mesmo tratamento da filha biológica do casal, da mesma idade. “O casal lutará na Justiça para manter a guarda e comprovará a forma precipitada que a situação foi conduzida”, conclui a advogada Mara Kaspary.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here