O doutor Oneide, de 55 anos, atuou em diversas entidades e teve papel importante no desenvolvimento do Caí - Reprodução/FN

São Sebastião do Caí perdeu no final da noite de ontem, sábado, dia 10, uma grande liderança, que esteve envolvido em diversas atividades e contribuiu para o desenvolvimento do município. O doutor Oneide Smit faleceu aos 55 anos, vítima de complicações decorrentes do Covid-19. Sem comorbidades, fazia cerca de duas semanas que estava internado, primeiro no Hospital Sagrada Família e depois foi removido para a UTI do hospital de Parobé. Seu falecimento causa grande consternação na comunidade caiense e da região, com várias homenagens nas redes sociais, incluindo as entidades em que atuou voluntariamente. A despedida será em cerimônia na tarde deste domingo, dia 11, no Crematório São José, de Caxias do Sul, restrita aos familiares.

Oneide era natural de Giruá, no Noroeste do Estado, de onde veio com a esposa Ana Virginia. Foi transferido para o Caí para atuar como gerente da loja Colombo e depois na CR Die Mentz. Após se formar em Direito, abriu o seu escritório de advocacia desde 1996, atuando nas áreas previdenciária, trabalhista e cível. Por diversas vezes foi premiado e recebeu o reconhecimento pelo destaque na atuação como advogado. Mas também esteve envolvido em diversas entidades. Foi um dos fundadores e presidente da Comunidade São Pedro da Vila Progresso, chefe escoteiro e presidente do Grupo Taguató, fundador da Apae, sócio fundador do grupo Carros Antigos do Caí, apoiador do Consulado do Grêmio e do tradicionalismo caiense, entre outras tantas atuações. Também foi vereador, membro do PTB e como secretário municipal de desenvolvimento teve papel importante na atração e crescimento de várias empresas.

O dr Oneide com a esposa Ana Virginia e os filhos Lucas, Tuane e Lucas
– Reprodução/FN

Emocionado, o filho Lucas, de 28 anos, formado em Engenharia, que atua como empresário e era o orgulho do pai, lembrou da inauguração do escritório de advocacia. “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez. Nunca teve medo de fazer nada na vida. Sempre lutou pelo que era certo. Tinha um grande coração e estava sempre disposto a ajudar”, diz, agradecendo as mensagens de apoio e pesar. Oneide e Ana Virgínia Lopes Smit adotaram ainda Lucas, de 13, e Tuane, de 5 anos, que trouxeram mais alegria para a família.

O doutor Oneide também era um amigo especial e parceiro do Fato Novo, colaborando com a área jurídica da empresa por mais de dez anos. O jornal Fato Novo presta sua homenagem e se solidariza com a família neste momento de despedida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here