Área de 3 hectares no Passo da Serra servirá para desenvolver atividades sociais, culturais, educacionais, ambientais e esportivas - Crédito: Prefeitura

A Central Única das Favelas (CUFA) está comemorando 13 anos de atuação em Montenegro. Para marcar a data, um evento ocorreu ontem, sexta-feira, dia 10, na Estação da Cultura, apresentou um resumo da história deste período e ainda marcou o lançamento de um novo projeto da entidade. A secretária Estadual da Cultura, Beatriz Araújo, prestigiou o aniversário. “Parabéns CUFA. Vocês fazem muito pela cultura popular do RS”, enfatizou a secretária.

O vice-prefeito Cristiano Braatz, o presidente da Câmara de Vereadores, Juarez da Silva, e outras autoridades e representantes de entidades participaram do encontro. “Como já dizia o músico Joey Ramone, temos que facilitar as coisas. A CUFA é muito importante pelas suas ações na cidade”, disse Cristiano.

Coordenador da CUFA em Montenegro, Rogério dos Santos, destacou que ações já impactaram mais de 85 mil pessoas
– Crédito: Prefeitura

O coordenador da CUFA em Montenegro, Rogério dos Santos, destacou o alcance social da atuação da Central na região. “Nossas ações já impactaram mais de 85 mil pessoas. Estamos muito felizes por isso”, avaliou Rogério, que agradece também aos parceiros, como a Braskem.

A CUFA RS foi representada pelo coordenador Paulo Daniel Santos, que lembrou o pioneirismo da entidade, tendo Montenegro como uma das primeiras cidades com representação da Central no estado. O artista urbano Jeferson Martins fez um grafite durante o evento. Já o MC Pedrão fez sua participação em forma de poesia e rap.

Secretária Estadual da Cultura, Beatriz Araújo, participou da comemoração do aniversário da CUFA
– Crédito: Prefeitura

De olho no futuro, o aniversário marcou o lançamento do projeto Espaço “Isokan” da CUFA. A ideia é criar um espaço público que promova a integração e inclusão social, por meio da cultura, educação, empreendedorismo, preservação ambiental, esporte e lazer, para crianças, adolescentes, mulheres em situação de vulnerabilidade na região.

Uma área do projeto, situada no Passo da Serra, de 3 hectares, foi escolhida devido à sua localização periférica, longe das opções culturais da cidade e pela oportunidade de transformar um espaço vazio em um espaço vivo, dinâmico, capaz de gerar novas perspectivas individuais e comunitárias. Além das áreas externas, o Espaço Isokan possuirá quatro blocos organizados na área, que setorizam o projeto pelas suas funções: bloco cultural; bloco social e educacional, bloco ambiental e bloco desportivo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here