População deve intensificar a prevenção ao mosquito - Reprodução/FN
A Vigilância Ambiental do Município de Feliz finalizou na semana passada, o primeiro Levantamento de Índice Rápido de Aedes Aegypti (LIRA), o qual aconteceu de 17 a 21 de janeiro. Foram visitados 292 locais, entre residências e comércios, onde foram identificados sete locais com larvas de Aedes Aegypti, de 13 amostras coletadas. Com este número alarmante, o Município fica classificado em risco médio de transmissão de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya, transmitidas pelo Aedes Aegypti.
Conforme, a Biomédica e Coordenadora da Vigilância Ambiental, Bárbara Antonina Dávila, os números apontados podem parecer pouco, mas significam que os felizenses não estão tomando os devidos cuidados para evitar a proliferação do mosquito. “Ele pode sobreviver por 30 dias e colocar em média 1.500 ovos que podem eclodir e repetir todo esse ciclo. Por isso, é de extrema importância que a população evite água parada, realize a limpeza de pratos de flores, caixas d´água, piscina e terrenos”, explica, Bárbara.
Neste ano, serão realizados mais três levantamentos que acontecem a partir do sorteio de quarteirões a serem visitados e inspecionados para identificação de focos de larvas de Aedes Aegypti. O próximo levantamento será realizado em abril.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here