A ponte foi construída em 1970, numa época em que ainda existiam poucos automóveis na localidade de Harmonia Arquivo/FN

A professora Luciana Bossel Becker, da Escola Castro Alves (localidade de Nova Santa Cruz, município de Harmonia) fez esse interessante relato sobre uma das grandes conquistas da comunidade harmoniense:

“Enquanto a comunidade dependia das carretas para transportar a produção até o rio Caí (e após em vapores até a capital), a situação era uma. Os moradores utilizavam-se das diligências, puxadas por mulas ou cavalos e com muito pouco conforto. Muitos viajantes, em tempos idos, para irem a Porto Alegre, utilizavam a estrada de ferro, a partir das estações Pareci, Capela ou Montenegro.

Com as estradas, péssimas por sinal, para transpor o leito do rio Caí, utilizavam-se as balsas existentes nas localidade de Matiel, Pareci Novo, Bom Princípio (no Passo Selbach) e Montenegro. Hoje ainda permanecem vestígios dos acessos, nesses lugares.

Imensas as dificuldades, a cada chuvinha era aquela enchente e tudo estava interrompido.

A luta para conseguirmos a ponte, das autoridades constituídas, era uma constante. A cada eleição, na década de 50/60, fazia-se verdadeira maratona, rumo à capital do Estado junto ao Governador, com o intento de consegui-la. Somente com promessas!

A primeira feita por Leonel Brizola, no dia 2 de dezembro de 1953, desceram em audiência o senhor Libório Rudolfo Hartmann e Oscar Gewehr. Foi feita uma promessa formal. Nada conseguia demover a comunidade. Algum dia, além da promessa teríamos a realidade confirmada. Em data de 5 de outubro, Edgar Roberto Fink novamente foi ao Governador Ildo Meneghetti por causa da Ponte. Em 20 do mesmo mês foi feito de novo um pedido e no dia 22 veio o candidato a Deputado Estadual Aury Silveira de Souza trazendo o Diário Oficial no qual constava a licitação para a obra da Ponte. No dia 4 de novembro de 1966, seguiram a Porto Alegre os senhores Theobaldo Valério Persch, Edgar Roberto Fink e Jacob Weissheimer atraídos pela notícia da abertura das propostas. O que acabou não acontecendo naquele dia. Somente dias após. No dia 9, foi a vez do senhor Libório Hartmann ir ao Palácio e ainda nada aconteceu. No dia 23 de novembro, sim. Foram abertas as propostas e confirmada a obra com duas empreiteiras a fazerem os serviços.

Houve muito empenho do senhor Edgar Roberto Fink, como vereador e interessado neste projeto. O final feliz concretizou-se efetivamente, em 23 de setembro 1970, sendo a ponte inaugurada pelo então Governador do Estado Coronel Walter Perachi Barcelos, com a presença dos Prefeitos de São Sebastião do Caí e Montenegro (respectivamente Heitor Pedro Selbach e Adolfo Schuler Netto) e outras autoridades. A festa foi no campo dos Fink em Harmonia.

A ponte foi construída com uma via somente, mas, para a necessidade do momento, era o suficiente. Para a economia de nossa cidade e de toda a região, esta obra grandiosa em muito contribuiu para o seu progresso. Harmonia é eternamente grata a todos que se empenharam para consegui-la. Foram inúmeras as pessoas interessadas e que muito colaboraram para esse desiderato. Para conseguirmos o asfalto, não foi diferente. Muitas idas e vindas, promessas não cumpridas. Até que em 2001 tornou-se realidade.”

Em 2001, o prefeito de Harmonia Carlos Alberto (Lico) Fink, filho de Edgar (Pit) Roberto Fink, e conseguiu inaugurar o asfaltamento da estrada entre Caí e Harmonia. Obra do governo estadual, na administração de Olívio Dutra.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here