A surpreendente eleição de Hilário Junges como primeiro prefeito de Bom Princípio

Uma multidão se despede do prefeito de Tupandi, José Hilário Junges, no final da tarde desta terça-feira, dia 8 de março. O velório ocorreu no Ginásio Poliesportivo Júlio Hedecker desde o início da manhã de hoje, seguido de cortejo com o caixão sobre o caminhão de Bombeiros de Bom Princípio, missa de corpo presente e o sepultamento.

Em homenagem ao grande administrador, um dos principais responsáveis por impulsionar o desenvolvimento do Vale do Caí, o Fato Novo reedita a série de matérias do blog Histórias do Vale do Caí, de autoria do jornalista Renato Klein.

Em quatro partes, sendo essa a terceira publicação, pode se conhecer um pouco da história do grande líder, que além de agricultor, foi eleito vereador em Montenegro em 1976, primeiro prefeito, de Bom Princípio em 1982 e agora estava no quarto mandato na Prefeitura de Tupandi quando faleceu ontem, dia 7 de março de 2022, aos 77 anos.

O grande realizador 3

Casado em 1968 com a tupandiense Cecília Warken, sua namorada desde a adolescência, Hilário viveu da agricultura em Tupandi por 16 anos e teve bastante sucesso. Construiu uma casa grande e sólida onde criou seus sete filhos (Isabel, Adriano, Daniel, Cândida, Salete, Susana e Júlia). Ele ganhou bem com as atividades rurais, contrastando com o que acontecia com a maioria dos agricultores da região, ainda presos a métodos arcaicos de produção. Sua casa se destacava das demais. Hilário era admirado como um produtor moderno e tornou-se um líder da localidade.

Em 1976 elegeu-se vereador em Montenegro, do qual Tupandi era distrito. Mas ficou muito decepcionado com a política, pois não conseguia obter, na prefeitura de Montenegro, as obras e providências que o distrito de Tupandi necessitava. As estradas eram precárias, o atendimento à saúde e à educação deficientes, o abastecimento de energia e o serviço de telefonia eram extremamente ruins. E Hilário quase nada conseguia junto à prefeitura de Montenegro para melhorar a situação do distrito. A única conquista dele neste seu período como vereador foi uma verba obtida através do deputado Darci Pozza para a construção de um novo prédio para a Sociedade São Luiz, o clube social da localidade.

Montenegro, praticamente, desconhecia o distrito de Tupandi, que ficava distante (cerca de 35 quilômetros por estrada de terra em más condições de trafegabilidade). Surgiu então o movimento pela emancipação de Bom Princípio, liderado pelo advogado Arno Carrard. Para cumprir as exigências da lei das emancipações (que estabelecia valores mínimos de receita e população), Tupandi foi incluído na área do novo município. Hilário, insatisfeito com a pouca atenção recebida por parte de Montenegro, resolveu apoiar o movimento emancipacionista. O projeto acabou aprovado e foi criado o município de Bom Princípio, em 1982, com Tupandi junto.

A eleição de Hilário Junges foi inesperada e causou, até, alguma preocupação
Arquivo/FN

O líder emancipacionista Arno Carrard foi lançado como candidato a prefeito pelo MDB e tinha toda chance de conseguir se eleger. Para enfrentar este forte candidato, o partido oposicionista, o PDS, resolveu lançar três candidatos (na época a legislação permitia este tipo de candidatura múltipla, chamada de sub-legenda). Hilário era um dos três, sendo que os outros dois eram um de Bom Princípio (Inácio Ledur) e outro de São Vendelino (Alfredo Hoffelder). Pelo MDB concorria, ainda o empresário, Roque Schmitz. Veio a eleição e a soma dos votos destes três candidatos do PDS foi superior à dos candidatos do MDB. E mais, entre os três candidatos do PDS, Hilário foi o mais votado. Com isto, conforme a legislação eleitoral da época, Hilário Junges foi eleito o primeiro prefeito de Bom Princípio.

Arno Carrard, pelo fato de haver sido o mentor da emancipação e por ser um homem mais estudado (ele é advogado), conhecedor mais profundo das questões políticas e administrativas, era visto como o franco favorito para vencer a eleição. Nem mesmo Hilário esperava pela sua vitória. No dia da apuração dos votos, que foi realizada em São Sebastião do Caí, ele ficou na sua propriedade, trabalhando normalmente no aviário e na roça. Foi José Ledur (o vice-prefeito eleito) que, depois de encerrada a contagem dos votos, se dirigiu até a casa de Hilário e lhe deu a surpreendente notícia.

O desempenho de Hilário Junges como prefeito em Bom Princípio foi surpreendente e formidável. Contendo os gastos na prefeitura e investindo fortemente no aumento da produção, ele conseguiu produzir um formidável progresso no município.

Ao lado do ex-deputado Roberto Cardona, Hilário Junges participa da inauguração de uma obra sua, quando era prefeito de Bom Princípio
Arquivo/FN

Quando concluiu o seu governo em Bom Princípio, aconteceu a emancipação de Tupandi e a esposa de Hilário foi eleita a primeira prefeita. Hilário participou do governo como secretário municipal e, na prática, foi quem conduziu o governo de Tupandi.

Neste primeiro período de governo em Tupandi, Hilário atraiu indústrias e melhorou muito as condições de infraestrutura no município, que antes eram muito precárias. Mas não ficou satisfeito com isto. Em 1992 ele elegeu-se prefeito, venceu, e começou seu mandato com um plano de desenvolvimento já traçado.

Renato Klein113 Posts

Passo do Matiel

A família Heck se encontra

Fundação Rockefeller

0 Comentários

Deixe um Comentário

três × 3 =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página