Envelope com a documentação está fechado e só será lido na sessão da Câmara da próxima quinta-feira - Reprodução/FN

Antes da sessão ordinária da Câmara de vereadores de Pareci Novo, ontem, quinta-feira, dia 9, dois eleitores do município protocolaram um pedido de impeachment contra a atual administração municipal, formada pelo prefeito Paulo Alexandre Barth e o vice-prefeito Fábio Schneider, ambos do PDT.

Conforme a secretaria da Câmara, o pedido foi protocolado por Andreia Guimarães e Nilo Campos Teixeira. O envelope com a documentação ainda não foi aberto, o que só deve ocorrer na sessão da próxima quinta-feira, dia 16. Na ocasião, será feita a leitura na íntegra e já realizada a votação em plenário para que os nove vereadores decidam pela admissão ou não do pedido de impeachment. Caso seja vetado, o processo é arquivado. Mas se for aprovado deverá ser criada uma comissão de vereadores (presidente, vice e relator) para realizar os trabalhos, ouvindo as partes e apurando as denúncias, dentro do prazo de 90 dias. Neste caso, após concluído o relatório, é feita nova votação para decidir se ocorre ou não o impeachment, mas aí necessitando dois terços do número de votos (6) para que seja aprovada a cassação.

É a primeira vez que ocorre um pedido de impeachment em Pareci Novo. Em Montenegro, que é o município-mãe do Pareci, já ocorreram processos que inclusive resultaram na cassação de dois prefeitos, mas também ocorreram solicitações que foram rejeitadas. “Vamos analisar de forma imparcial e cumprir o nosso papel de fiscalizar, fazendo o julgamento em plenário”, diz o presidente da Câmara, vereador Augusto Kappes (Republicanos).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here