Medidas de prevenção são importantes para combater o mosquito Aedes aegypti - Crédito: Prefeitura

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou, nesta terça-feira, dia 12, que Montenegro contabiliza 80 pessoas com diagnóstico positivo para Dengue. Além disso, segundo a Vigilância em Saúde, há 12 casos de moradores suspeitos de terem contraído a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Para tentar frear a contaminação, o órgão segue pedindo o apoio da população para não deixar água parada e para que permita a visita dos agentes de endemias.

Segundo a coordenadora do setor, Beatriz Garcia, esses agentes realizam visita nas casas procurando por focos do inseto. “Esses dados são de extrema relevância para que possamos fazer um levantamento de onde há mais casos na cidade, para atuar de forma mais eficaz”, ressalta. Ela destaca que muitas pessoas não têm colaborado para que as visitas ocorram. Algumas, inclusive, impedem a entrada dos agentes. Beatriz esclarece que os servidores estão de jaleco branco e com crachá de identificação. Quem tiver dúvidas sobre a veracidade da visita, pode, inclusive, ligar para o setor no telefone 3632-1113.
Vários bairros da cidade têm registrado surto de Dengue e os maiores índices de infestação ocorrem em domicílios urbanos. “O Aedes é um mosquito que tem hábitos domésticos. Por esse motivo, é preciso o empenho da população para eliminar os criadouros, realizando a inspeção de suas casas pelo menos uma vez por semana”, salienta Beatriz. No início, apenas os bairros Centro, Rui Barbosa, São Paulo e Senai apresentavam casos. Segundo a coordenadora, neste momento, os casos já estão espalhados, podendo o poder público, agora, só tentar controlar a proliferação.

A Vigilância segue, todos os dias, realizando visitas nas residências, fiscalizando e, se necessário, multando quem descumprir a regra. “É preciso ter noção de que a Dengue pode matar. Nós estamos fazendo a nossa parte e pedimos para que a população também faça a sua”, destaca Beatriz.

Principais medidas para eliminar a formação de criadouros

– Manter as caixas-d’água bem fechadas;
– Lavar com água e sabão tonéis, galões ou depósitos de água e mantê-los bem fechados;
– Limpar e remover folhas das calhas deixando-as sempre limpas;
– Retirar água acumulada das lajes;
– Desentupir ralos e mantê-los fechados ou com telas;
– Colocar areia ou massa em cacos de vidro de muros;
– Lavar plantas que acumulam água como as bromélias duas vezes por semana;
– Preencher com serragem, cimento ou areia ocos das árvores e bambus;
– Evitar utilizar pratos nas plantas, se desejar mantê-los, colocar areia até a borda dos pratos de plantas ou xaxins;
– Tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana;
– Retirar a água e lavar com sabão a bandeja externa da geladeira;
– Lavar bem o suporte para garrafões de água mineral a cada troca;
– Lavar vasilhas de animais com esponja ou bucha, sabão e água corrente, trocá-los uma vez por semana;
– Manter aquários para peixes limpos e tampados ou telados;
– Manter vasos sanitários limpos e deixar as tampas bem fechadas;
– Guardar garrafas vazias e baldes de cabeça para baixo;
– Jogar no lixo objetos que possam acumular água como: latas, tampas de garrafa, casca de ovo, copos descartáveis;
– Manter a lixeira sempre bem tampada e os sacos plásticos bem fechados;
– Fazer furos na parte inferior de lixeiras externas;
– Descartar ou encaminhar para reciclagem os pneus velhos ou furá-los e guardá-los secos e em locais cobertos.
– Use repelente
Não são considerados criadouros: açudes e poças de água em terrenos baldios com solo de terra e/ou areia, desde que não haja acúmulo de entulho ou lixo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here