Medida visa evitar que as pessoas passem novamente a noite na fila para conseguir a vacina - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Foram disponibilizadas cem doses da vacina Coronavac para a aplicação da segunda dose no drive-thru do Parque Centenário de Montenegro. O município recebeu apenas 160 doses, sendo que 50 foram destinadas para profissionais da saúde e dez para pessoas acamadas. Seria necessário um número bem maior, de cerca de 1.400 doses, já que o fornecimento da Coronavac está atrasado por parte do Instituto Butantan.

Para garantir a segunda dose, muitas pessoas começaram a chegar ao portão do Parque Centenário ainda ontem, terça-feira. Os primeiros chegaram já por volta de 18h e muitos passaram a noite e madrugada na fila de carros. Logo se formou uma imensa fila, em direção a Escola AJ Renner, terminando o número de senhas disponíveis. A Guarda Municipal, visando a segurança e o conforto das pessoas, fez a contagem das primeiras 80 pessoas que estavam de carro e reservou 20 para os que chegaram a pé. Em seguida foi colocado o aviso de que não havia mais vacinas, evitando que mais veículos ficassem na fila. E no início da manhã de hoje foram aplicadas as vacinas.

A Prefeitura nega a destinação irregular de senhas, esclarecendo que não procedem comentários em redes sociais. E que acusações serão alvo de análise jurídica e eventual busca de reparação por danos morais.

A expectativa é pela chegada de mais doses da Coronavac para continuar a aplicação da segunda dose de quem já completou 28 dias ou mais desde a primeira aplicação. Enquanto isso ocorre a aplicação da segunda dose da vacina da Oxford e ontem iniciou a vacinação das pessoas com comorbidades, o que ocorre nos postos de saúde.

Acabou a bateria

Ines com a mãe após passar a noite na fila e acabar a bateria do carro
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

A professora Ines Boeira conta que chegou ao Centenário em torno de 20h e seu carro era o quinto na fila. “Fazia mais de 40 dias que minha mãe tinha tomado a primeira dose”, diz, preocupada. “Trouxe chimarrão, café e cadeira para passar a noite”, conta, junto com o marido. Além de madrugar no portão do parque, o carro acabou ficando sem bateria no veículo. “Pedi para a minha mãe passar para o carro da frente”, relata. Por sorte o veículo era de uma amiga, que deu carona até o local da vacinação. Enquanto isso, Ines recebeu socorro para arrumar seu carro e logo depois se dirigir para a escola onde trabalha. E dona Doracília foi logo vacinada. “Tomei a segunda dose. Já tinha passado um monte de dia de atraso. Agora estou tranquila”, falou, aliviada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here