Projeto não será mais votado na noite de hoje na Câmara de Vereadores de Montenegro - Arquivo/FN

Em nota divulgada ontem, segunda-feira, dia 11, a Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Montenegro e Pareci Novo, e o Sindilojas, se posicionaram contrários a contratação de mais assessores na Câmara de Vereadores de Montenegro. O projeto, que está causando bastante polêmica e repercussão, com muitas manifestações nas redes sociais, prevê a contratação de um segundo assessor para cada um dos dez vereadores, além de outro quatro servidores para a parte administrativa do legislativo. Os salários variam entre R$ 4,2 mil (assessor) e R$ 5,2 mil (coordenador de gabinete). Pela proposta, apresentada na última quinta-feira e que já foi muito discutida na sessão ordinária de 7 de abril, também devem ser contratados assistentes legislativo e administrativo, contador e analista de tecnologia de informação, com salários entre R$ 3,4 mil e R$ 7,5 mil.

Proposta apresentada na última quinta-feira (foto) será analisada hoje na CGP e pode ser votada amanhã
– Reprodução/FN

O projeto foi analisado na comissão geral de pareceres (CGP) na manhã de hoje, terça-feira, dia 12, onde o parecer em favor da aprovação recebeu 4 votos e um contra. Agora será votado em plenário amanhã, quarta-feira, dia 13, em sessão antecipada devido a semana santa. Nas manifestações da última quinta-feira, apenas dois vereadores – Gustavo Oliveira (PP) e Paulo Azeredo (PDT), se manifestaram contrários. Sérgio Souza (PSB) não chegou a se posicionar. Ari Müller (PP) se manifestou contra em rede social, mas está afastado por licença, estando em seu lugar Fabrícia de Souza. Os demais vereadores se manifestaram favoráveis a contratação, alegando aumento de demanda e para poder prestar um melhor serviço para a comunidade.

Nota da ACI e Sindilojas

“Ao longo dos últimos anos, a Câmara de Vereadores de Montenegro tem sido protagonista no debate de temas urgentes e importantes para nossa cidade, em especial no período de pandemia, um dos mais difíceis da nossa história recente.

Graças a um enorme esforço conjunto, envolvendo a sociedade civil organizada, após tantas perdas de vidas humanas, tantas empresas fechadas e tantos empregos perdidos, a economia nos dá sinais de retomada para que possamos recomeçar. A exemplo disso, os 1048 empregos gerados em Montenegro no ano de 2021.

Diante da crise imposta pela Pandemia, cada família montenegrina cortou despesas, restringiu e otimizou seus recursos na tentativa de preservar sua renda. Cada empreendedor, do pequeno ao grande, trabalhou incansavelmente, da forma como lhe foi permitido, fazendo sacrifícios, economias e cortes no orçamento para que mais empregos não fossem perdidos.

Nesse contexto, é inadmissível e negativamente surpreendente uma proposta de aumento do número de assessores parlamentares, onerando ainda mais a coisa pública, indo na contra mão de todo esforço na busca pelo uso racional e eficiente dos recursos até aqui realizado. (Lembramos que em reunião na Câmara de Vereadores em 08/02 do corrente ano, já havíamos sinalizado nossa posição contrária a este projeto).

Dito isso, a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montenegro/Pareci Novo e o Sindilojas Montenegro solicitam que os senhores vereadores, observando o impacto negativo que essa alteração trará as contas públicas, assim como a negativa mensagem de descaso com o bem público que passarão ao contribuinte com uma aprovação dessa proposta, considerem a rejeição da mesma.

Nossas entidades se colocam a disposição para o que for necessário, continuando acreditando no bom exemplo que nossos parlamentares darão e destacamos a necessidade de maior discussão desses temas antes de serem levados a votação. A transparência é fundamental para a manutenção do diálogo.”

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here