Imagem ilustrativa/internet
Os municípios do Vale do Caí aguardam para esta semana a chegada das vacinas contra o coronavírus.
Após aprovação da Anvisa para uso emergencial da CoronaVac, o Ministério da Saúde anunciou que o primeiro lote, de cerca de 6 milhões de doses, começaria a ser distribuído aos estados nesta segunda-feira. Depois de chegarem ao Rio Grande do Sul, é o governo que fará a logística de envio às cidades. Por isso ainda não há definição de quando as vacinas chegaram aos municípios da região. O certo é que todos os 497 municípios gaúchos serão contemplados já no início da vacinação. Mesmo as menores cidades terão direito a uma quantidade mínima para atender, por exemplo, profissionais que trabalham nas unidades básicas de saúde (UBS).
Secretária da saúde de Montenegro, Cristina Reinheimer alerta que a prevenção, incluindo o uso de máscara, deve continuar
– Crédito: ACOM/Prefeitura
A secretária municipal da Saúde de Montenegro, Cristina Reinheimer, entende a ansiedade da população, mas pondera que será preciso ter um pouco de paciência. “Ainda não temos a data exata de chegada, somente sabemos que será nos próximos dias”, reforça. Além disso, a medicação não estará disponível para todos. “Foi definido pelo Ministério da Saúde como grupo prioritário, neste primeiro momento de vacinação, o dos profissionais de saúde que atuam diretamente no enfrentamento à Covid-19 e os idosos residentes em instituições de longa permanência, normalmente chamados de asilos”, explica. Montenegro tem dois hospitais com UTIs (Montenegro e Unimed) que atendem a região e que devem ter profissionais que atuam na linha de frente contra o coronavírus entre os primeiros a serem vacinados.
A equipe encarregada da imunização em Montenegro definiu que a aplicação, para estes dois grupos (profissionais da saúde e idosos em asilos), será realizada de modo volante, ou seja, uma equipe se deslocará até o local onde estão. Na cidade, são quatro ILPs, que acolhem a cerca de 180 idosos. Já o levantamento sobre o pessoal da Saúde deve ser concluído amanhã porque as primeiras vacinas serão destinadas apenas a quem trabalha diretamente com os pacientes. A Secretaria ainda não sabe quantas unidades receberá na primeira etapa. Cada pessoa receberá duas doses do medicamento.
Ao Rio Grande do Sul, estão sendo destinadas 311.680 unidades do imunizante ao grupo prioritário e outras 30.120 à população indígena, um total de 341.800 doses. De acordo com a tabela divulgada pelo Ministério da Saúde, a população-alvo da primeira fase da vacinação no Estado é de 162.761 pessoas, sendo 9.510 idosos, 380 pessoas com deficiência, 138.523 trabalhadores da saúde e 14.348 indígenas. Com relação aos índios, a prioridade é para os que residem em reservas. Não é o caso dos que estão em Montenegro.
Prevenção é fundamental
Apesar do início da vacinação, ainda vai levar alguns meses até que a maior parte da população esteja imunizada contra a Covid-19. Por isso, as tradicionais medidas de prevenção não devem ser negligenciadas. Ao contrário, o uso de máscaras, de álcool gel e o cuidado para não participar de aglomerações são essenciais para o controle da doença.
Neste final de semana, a Guarda Municipal foi obrigada novamente a dispersar grupos de pessoas que não respeitaram as regras, especialmente no Parque Centenário. Os grupos, em sua maioria, eram formados por jovens. “Queremos renovar nosso apelo para que os montenegrinos se previnam, evitando comportamentos de risco”, afirma o prefeito Gustavo Zanatta.
O número de diagnósticos de Covid-19 em Montenegro já é de 3.171, com 40 mortes registradas. Somente na semana passada, foram 146 novos casos e dois óbitos.
Fonte: ACOM/Prefeitura de Montenegro

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here