Governador diz que vai rever local previsto para o pedágio na RS 122 no Caí

Novo local ainda será estudado pelo Governo e empresa que venceu o leilão da concessão - Crédito: Palácio Piratini

O prefeito de São Sebastião do Caí, Júlio Campani, atendendo ao convite do Governador Ranolfo Vieira Júnior, participou de reunião no Palácio Piratini na última quinta-feira, dia 27 de outubro.

Na oportunidade, acompanhado pelo deputado-federal Lucas Redecker e pelos vereadores João Marcos Guará e Elson Lopes, Campani ouviu do governador que o pedágio previsto para ser instalado no Km 4 da ERS 122, no bairro Areião, do Caí, será revisto. “O governador deu sua palavra de que a praça de pedágio prevista para o Km 4 será revista e analisado outro local para a sua instalação”, diz o prefeito caiense. “Dias antes o então candidato Eduardo Leite entrou em contato comigo afirmando que se comprometia a rever a instalação desse pedágio”, completa Campani, otimista quanto à reversão da instalação da praça de pedágio no Caí.

No início deste mês de novembro, quando for assinado o contrato com a empresa vencedora do leilão, o Governo deve tratar do assunto. Campani diz que representantes do Consórcio Integrasul já tem conhecimento que no quilômetro 4 teriam grandes dificuldades para a instalação de um pedágio. “Deverá ser feito um estudo e pela palavra que o governador me deu não ficará no quilômetro 4”, conclui.

De acordo com o prefeito, a localização da nova praça (substituindo o atual pedágio de Portão), no quilômetro 4, dividiria o bairro Areião, implicando em cobrança para moradores e trabalhadores que se deslocam diariamente pela via. A reivindicação de mudança de ponto, ou isenção para pessoas com comprovação de endereço residencial ou profissional no município, já foi também sugerida ao Governo.

Dentro de um programa municipal de pavimentação, a administração de São Sebastião do Caí inaugurou, em 25 de junho, um trecho de dois quilômetros de pavimentação da Estrada do Passo da Taquara, que liga a ERS-122 à ERS-240 (em direção a Capela de Santana e Montenegro). A via se constitui como alternativa à ERS-122, contudo, por se tratar de área rural e de uma estrada vicinal de duas pistas simples e sem acostamento, há preocupação com a segurança devido ao intenso aumento de tráfego que o desvio do pedágio ocasionaria.

O prefeito caiense continua lutando para que o novo pedágio não seja instalado no quilômetro 4 da RS 122, no bairro Areião, do Caí. A nova praça, conforme o projeto de concessão, terá tarifa de quase 10 reais (RS 9,82) no Caí, a mais cara das novas concessões, com cobrança nos dois sentidos e sem direito a isenção para os moradores locais. Por isso a revolta de Campani, que vem liderando uma grande mobilização e, se a situação não for revertida, promete investir em rotas alternativas, como desvios, para não prejudicar os moradores locais.

0 Comentários

Deixe um Comentário

18 − dezesseis =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página