Rapaz baleado estava na carona de uma moto - Reprodução/FN

É grande a repercussão com relação à morte de um rapaz de 18 anos durante abordagem policial no início da madrugada deste domingo, dia 10, no bairro Santo Antônio.
Os fatos ainda estão sendo investigados. Segundo a Brigada Militar, logo depois da meia-noite iniciou o acompanhamento da moto, que teria cruzado com a sinaleira fechada na esquina da Rua Santos Dumont com Capitão Cruz, no centro da cidade. Segundo PMs, como tinha a denúncia de furto de uma moto, estavam sendo feitas buscas. Mais guarnições acompanharam o cerco. A perseguição continuou pelo bairro Rui Barbosa, RSC 287 até a Rua Waldemar Pedro Steffen, no bairro Santo Antônio, perto da Esquina da Sorte. Neste local os PMs citam que a dupla de moto furou uma barreira policial. Conforme a versão dos policiais militares, o caroneiro teria feito menção de colocar a mão na cintura, o que levantou suspeita de que estivesse armado. E de acordo com a BM, o motociclista jogou o seu veículo na direção de uma soldado. Um colega efetuou um tiro para o chão e a soldado, alegando legítima defesa, já que corria o risco de ser atropelada, disparou um tiro. O disparo atingiu o caroneiro.

Mesmo após os disparos, a moto seguiu em direção a localidade de Alfama. O caroneiro ferido acabou caindo. Conforme a Brigada, mesmo assim o motociclista seguiu em fuga por cerca de 3 quilômetros até parar porque pneu da moto furou. O caroneiro, que teria sido atingido na altura da cintura, foi socorrido pelos próprios PMs e levado ao Hospital Montenegro, mas não resistiu e veio a falecer. A soldado não sofreu lesões. Segundo a Brigada, o condutor da moto, também de 18 anos, além de acusação por tentativa de homicídio por ter jogado o veículo na direção da policial, foi indiciado por direção perigosa e tráfico de drogas, pois teria sido encontrada uma mochila com 39 pedras de crack, 130 gramas de maconha e uma balança de precisão. Ele não tinha carteira de habilitação. A prisão em flagrante foi lavrada na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

De acordo com a Brigada, em vários momentos foi solicitado que a moto parasse, mas o condutor não obedeceu, inclusive trafegando pela contramão. A moto, segundo PMs, se envolveu numa ocorrência na localidade de Santos Reis, no último dia 2 de janeiro, quando também o condutor teria jogado o veículo na direção da guarnição e fugiu. “Jogou a moto para cima de uma soldado. Um colega efetuou um disparo para o chão. A soldado atirou para se defender”, diz o comandante interino do 5º BPM, major Hélio Schauren, que ouviu a versão dos policiais.

Polícia divulgou foto de sacola com droga e balança de precisão que segundo Brigada estaria com ocupantes da moto
– Crédito: Polícia Civil

A Polícia Civil aguarda os laudos da perícia, balística e da necropsia do IML. O delegado Marcos Eduardo Pepe, que estava de plantão na DPPA, diz que nenhum dos rapazes da moto tinha antecedentes policiais. Pelos depoimentos dos PMs, os dois teriam fugido da abordagem policial em alta velocidade e avançando o sinal vermelho, além de conduzirem a moto para cima de policial militar e o carona ter levada uma das mãos à cintura. “Policial entendeu que era um movimento típico de quem sacaria uma arma e então efetuou um disparo que por ventura atingiu o indivíduo que estava no banco do caroneiro, vindo este a falecer no hospital”, cita o delegado. “Além disso, durante a fuga eles teriam lançado uma sacola preta com drogas (crack e maconha) e balança de precisão”, completa, confirmando que o condutor da moto foi preso em flagrante. A Polícia e a Brigada também divulgaram fotos da sacola em que estariam drogas e balança de precisão.

Família quer justiça

Em manifestações nas redes sociais e contatos com a reportagem, a família de Marcelo Junior, conhecido como Marcelinho, aguarda por Justiça. Familiares e amigos estão chocados com a morte do rapaz e esperam que os fatos sejam devidamente apurados e esclarecidos. A abordagem, inclusive, ocorreu perto da casa da família, que tem um estabelecimento comercial no bairro e é bastante conhecida e estimada.

Parentes dizem que Marcelo saiu de casa para comprar um refrigerante porque estavam preparando uma janta. Destacam que o rapaz era trabalhador e nunca esteve envolvido com qualquer tipo de crime, nem usou ou vendeu drogas. “Estava realizando seus sonhos. Comprar seu carro e ter casa própria”, diz uma familiar. Alegam que não tinham mochila na moto, mas sim sacola com refrigerante dentro. Vídeos circulam pelas redes sociais. O fato tem gerado muitos comentários.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here