Hoje foi o primeiro dia da volta às aulas nas escolas municipais e estaduais - Crédito: ACOM/Prefeitura

Os corredores ainda estão desertos. Por vezes, encontra-se um funcionário realizando a limpeza de algum espaço. Ao longe, é possível escutar a explicação de uma lição de Matemática em uma sala. Dentro dela, poucos alunos. Separados. Classes longe uma da outra, as máscaras agora compõem o uniforme e os pequenos tubos de álcool gel fazem companhia às canetas dentro do estojo.

Este é novo cenário de boa parte das escolas. Nos colégios particulares as aulas já retornaram na última semana. Já hoje, segunda-feira, dia 3, foi a vez das primeiras turmas das escolas municipais e estaduais.

Protocolos de segurança estão sendo adotados para garantir a segurança de alunos e professores
– Crédito: ACOM/Prefeitura

Seguindo os protocolos de restrição, higienização e distanciamento social, as instituições puderam, novamente, receber alunos desde essa manhã. No entanto, em algumas escolas, a adesão ainda foi baixa.

Na Ana Beatriz Lemos, do bairro Estação, no turno da manhã, quatro alunos compareceram. Segundo a direção, tendo como base as informações passadas pelos pais, oito estudantes eram esperados. A diretora Rosemere da Rosa da Silva destaca que muitos ainda estão receosos pela volta às aulas. “Muitos pais ainda têm medo. Estamos cuidando para que o retorno seja seguro a todos”, enfatiza a diretora. Os que ainda não retornaram seguem trabalhando com as aulas remotas.

Em todas as instituições, o protocolo é o mesmo: na entrada, tem medição de temperatura, higienização dos calçados e álcool em gel nas mãos. Dentro das salas, as classes respeitam um distanciamento e os alunos e professores são obrigados a vestir a máscara durante todo o período. Algumas ideias, nesta volta às aulas, também chamaram a atenção na escola do bairro Estação. Ministrando aula para quatro crianças, a professora Suelen da Rosa levou um tubo de álcool em gel personalizado para cada estudante. Além de levar mais segurança aos alunos, a medida também os motiva a continuar buscando o aprendizado.

Na Escola Dr. Walter Belian, do bairro Rui Barbosa, em uma situação normal, seriam 124 alunos que estariam em sala de aula pela manhã. Com as restrições da Covid-19, o número de crianças que iriam neste primeiro dia era de 72. No entanto, nesta manhã, apenas 24 marcaram presença. Para a diretora do educandário, Deise Kochenborger, a quantidade até está dentro da expectativa e tende a aumentar conforme passam os dias. “Acredito que o relato dos pais que trouxeram os filhos para a escola fará o número de alunos aumentar”, salienta. De acordo com Deise, as crianças têm respeitado as medidas e a direção promete ser rígida no cumprimento dos protocolos. “Temos de garantir a segurança dos alunos”, explica.

Até as brincadeiras são supervisionadas
Na Escola Adenillo Rübenich, Tio Riba, do bairro Ferroviário, até as brincadeiras são supervisionadas de perto pelas professoras e funcionárias. Já na entrada, há diversos protocolos sendo respeitados. Quando as crianças vão para o playground, além da limpeza frequente, são orientadas por duas docentes para que não haja contato.

De acordo com a diretora, Laís da Rosa Conceição, no turno da manhã, seis alunos compareceram à aula. Ela destaca que a procura foi baixa, mas a expectativa é que o número aumente nos próximos dias. Dentre os poucos reencontros desta manhã, a diretora lembra da chegada de uma aluna que estava muito feliz com o retorno das aulas. “Ela chegou e nos disse: ‘estou emocionada por voltar à escola’. Isso nos deixa muito feliz”, enfatiza a diretora.

Fonte: Prefeitura de Montenegro

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here