A sensação de pertencimento e a qualidade de vida de uma comunidade dependem, em grande parte, das condições em que se encontra o ambiente por onde as pessoas circulam. Ruas limpas, praças e parques bem cuidados, grama aparada nos canteiros e flores ornamentando os locais de convívio são elementos fundamentais para a construção da autoestima de um povo. Com esta visão, a Administração Municipal de Montenegro está lançando o projeto “Cidade limpa”.

O Parque Centenário, o Cais do Porto, os canteiros das avenidas e as próprias ruas estão tomados pelo mato. Para piorar, não há, sequer, equipamentos para adotar as providências necessárias. A solução é a compra, o que será providenciado, mas a burocracia imposta aos órgãos públicos pela legislação torna este processo moroso. “Estamos na melhor época do ano para o trabalho – o verão – mas é provável que as ferramentas não cheguem a tempo de serem usadas neste período”, lamenta o prefeito Gustavo Zanatta.

Por isso o prefeito pretende visitar as empresas para pedir ajuda na doação de utensílios como enxadas, facões, cortadores de grama, sopradores e diversos outros equipamentos. “São itens necessários para o trabalho. Tenho certeza de que receberemos uma resposta positiva, pois o desejo de uma cidade mais limpa e agradável é de todos”, afirma Zanatta. Qualquer pessoa da comunidade pode colaborar neste esforço. “É só nos avisar que iremos buscar os objetos doados”, ressalta.

É consenso na Administração que a falta de uma ação mais efetiva do poder público nesta área levou também a população a relaxar na manutenção de seus pátios, em cuidar das calçadas e até mesmo em dar o destino adequado ao lixo doméstico. O secretário de Viação e Serviços Urbanos, Neri de Mello Pena, o Cabelo, acredita que, com o tempo, os próprios moradores passarão a ajudar a cuidar dos espaços públicos, sentindo-se também responsáveis por eles. “No médio e longo prazos, esta valorização produzirá uma sensação de bem-estar coletivo”, aposta, pedindo a colaboração de todos.

Outras ações

O Projeto Cidade Limpa prevê também:

– reforço da equipe de manutenção, através do engajamento de novos albergados do regime semiaberto, mediante convênio com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe);

– estímulo à formação de mutirões, com o objetivo de envolver a comunidade na manutenção dos espaços públicos, tornando-a corresponsável pelo seu cuidado;

– criação do serviço “Bota Fora”, que consiste na destinação de um caminhão da Prefeitura para roteiros mensais pelos bairros e pelo Centro, com o intuito de recolher móveis velhos e outros objetos de grande porte descartados incorretamente;

– intensificação das rondas da Guarda Municipal para conter os atos de vandalismo.

– aumento da fiscalização sobre depósitos irregulares de lixo;

– melhoria do serviço de recolhimento de resíduos e maior estímulo e conscientização sobre a importância da coleta seletiva;

– ampliação, entre pessoas físicas e jurídicas, da adoção de praças, canteiros e rótulas, de acordo com o que está previsto nas leis 2.718/91 e 4.807/2008 e no decreto 7.491/2017, mediante a exposição de publicidade nesses locais.

Equipamentos necessários

Para atender a primeira parte do projeto Cidade Limpa, a Prefeitura vai buscar a doação dos seguintes equipamentos:

– vassouras de copo (tipo gari)
– vassouras de jardim grandes (reforçadas)
– ancinhos de ferro (inteiros soldados)
– garfos (tipo forcado)
– pás de limpeza
– enxadas reforçadas (cabo 1,2 metro – em madeira)
– foices com cabo de 1,2 metro
– picaretas
– carrinhos de mão (fortes)
– carrinhos de mão (leves)
– vassouras de palha
– trinchas
– roçadeiras
– sopradores costal
– motosserra grande
– motosserra média

Fonte: ACOM/Prefeitura

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here