Prédio do antigo almoxarifado da Prefeitura de Montenegro foi demolido, anos atrás, para sediar o terminal rodoviário, mas projeto do Paradão de ônibus nunca saiu do papel - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A criação do terminal rodoviário urbano, o chamado “Paradão”, na rua José Luís com Doutor Flores, na esquina do antigo Bar do Motorista, e a revitalização do centro de Montenegro foram os temas de uma reunião que aconteceu na última quarta-feira, dia 7, na Câmara de Vereadores de Montenegro. O local do paradão é na área do antigo almoxarifado da Prefeitura, que anos atrás foi demolido justamente para sediar o terminal, inclusive tendo projeto e recursos anunciados. Mas nunca saiu do papel.

Este já é o segundo encontro deste ano para discutir soluções viáveis de médio e longo prazo a serem realizadas para as melhorias do transporte urbano. Desta vez participaram representantes do Sindilojas, da ACI Montenegro Pareci Novo, VIMSA e SILAS (Viação Montenegro), além da Prefeitura e os vereadores Juarez Vieira da Silva e Gustavo Oliveira, proponentes do encontro.

Em reunião foi defendida a instalação do terminal rodoviário
– Crédito: Câmara de Vereadores

Durante a reunião a secretaria de Gestão e Planejamento apresentou um projeto de revitalização e pertencimento para o centro da cidade que incluem as paradas de ônibus e o direcionamento dos vendedores ambulantes para um centro comercial junto ao paradão, que ficaria instalado na José Luís. Segundo João Flávio Koch, diretor da Viação Montenegro, “o terminal traria economicidade aos passageiros por que poderia centralizar os ônibus num mesmo local”. Esta também foi à ideia defendida pelo secretario da Indústria, Comércio e Turismo, Waldir Kleber. “A ampliação dos itinerários, mais a implantação do paradão de ônibus com um centro comercial para os ambulantes, aumentaria o fluxo de pessoas na cidade, o que de certa forma incrementa economicamente o comércio local”, salientou o secretário.

Para o presidente da ACI Montenegro Pareci Novo Karl Heinze Kindel é preciso avaliar o projeto de revitalização do centro e do transporte urbano. “Precisamos saber se este projeto vai se sustentar pra daqui 10 ou 20 anos, por que envolve a questão do crescimento da cidade e a manutenção destes espaços”, ressaltou.

Já o presidente do Sindilojas, José Stoffel, destacou que hoje é necessário dar mobilidade não só para os trabalhadores da cidade como também para a população. O que entra no do projeto de revitalização e pertencimento das pessoas em relação a cidade. “As pessoas desistem de vir a Montenegro por que nosso transporte público não funciona. Precisamos melhorar isso por que envolve uma questão econômica”, defende.

Terreno ao antigo almoxarifado da Prefeitura poderá ser aproveitado para o “Paradão de ônibus”
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Na avaliação dos vereadores Gustavo Oliveira (PP) e Juarez Vieira da Silva (PTB) a reunião teve um efeito positivo. “Nós queríamos retomar o assunto do paradão de ônibus e, junto, contemplar a revitalização do centro. A ideia é tentar achar uma solução para a organização da região central da cidade e para o transporte público. Nós resolvemos, hoje, algumas questões importantes. Vamos dar um tempo para o executivo organizar melhor o projeto e ai vamos retomar esta discussão”, destacou Gustavo Oliveira.

Para o presidente do Legislativo Juarez Silva a reunião teve um saldo positivo. “Agora vamos discutir com a administração a viabilidade dos projetos de revitalização e do paradão de ônibus. Precisamos legalizar os ambulantes que temos no município, dentro desta ação de reorganização do centro, e dar a eles um local adequado para o trabalho”, finalizou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here