Professores pediam reprovação do projeto de desvinculação do plano de carreira, mas proposta foi aprovada pelos vereadores e ocorreram muitos protestos na Cãmara - Crédito: ACOM/Câmara

Com o plenário e saguão da Câmara lotados, os vereadores aprovaram na noite desta quinta-feira, dia 26, o projeto enviado pelo governo municipal, que desvincula o nível 1 dos demais níveis do plano de carreira do magistério. Mesmo sendo muito criticada pelos professores, a proposta foi aprovado por 7 votos a 3. Apenas os vereadores Paulo Azeredo (PDT), Camila Oliveira (Republicanos) e Talis Ferreira (PP) votaram contra.

Logo após a votação, sob protestos, os manifestantes deixaram o plenário, mas muitos permaneceram no saguão e na rua, realizando protestos através de gritos e cartazes. Foi inclusive chamada a Brigada Militar para garantir a segurança na saída dos vereadores. Um dos vereadores, Sérgio Souza (PSB), informou que procurou a Delegacia de Polícia para registrar uma ocorrência em razão das ofensas que recebeu, a qual registrou através de gravação.

Professores lotaram plenário e saguão da Câmara
– Crédito: ACOM/Câmara

O projeto de lei complementar, número 48, encaminhado pela Prefeitura, altera dispositivos e revoga o artigo 42, que estabelece o plano de carreira do magistério público do município e dá outras providências. A intenção do governo foi de buscar uma solução para atender a exigência de cumprimento da lei do piso nacional do magistério sem comprometer as finanças do município. Entretanto, para o Sindicato dos Profissionais de Educação (Sinpedu), gera perdas aos direitos adquiridos pelos professores. Como protesto, professores ameaçam apelar para o Ministério Público e até realizar greve.

Na saída muitos protestos contra os vereadores e até registro na Delegacia
– Reprodução/FN

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here