Imagem ilustrativa/internet

A Secretaria Municipal da Saúde acaba de confirmar a presença da variante Delta do novo coronavírus em Montenegro.

Duas pessoas que residem na cidade foram contaminadas, o que, somado a casos em outras regiões, confirma a chamada transmissão comunitária da doença no Estado. Ambas foram hospitalizadas, mas já tiveram alta e agora, junto com seus familiares, são monitoradas pela Vigilância Epidemiológica.

A variante Delta surgiu na Índia por volta de outubro de 2020, levando a sérios danos à população. Esse ano, foi considerada como o motivo do agravamento da pandemia naquele país e no Reino Unido. Segundo a Organização Mundial de Saúde, será predominante em breve em todo mundo. Estudos indicam que a Delta tem quase o dobro de transmissibilidade do vírus original, embora a letalidade seja considerada praticamente a mesma.

De acordo com a enfermeira Patrícia Barros, da Vigilância Epidemiológica, é necessário reforçar o uso de máscaras, álcool em gel e evitar aglomerações. São cuidados que muita gente passou a negligenciar depois que a quantidade de casos e óbitos caiu, nos últimos dois meses. O grande receio é uma nova sobrecarga aos serviços de saúde.

Patrícia ressalta também a importância da vacinação. Todos aqueles que já cumpriram o intervalo entre a primeira e a segunda doses e ainda não tomaram a segunda devem ir à Estação da Cultura com a máxima urgência. “É fundamental que as pessoas concluam a imunização”, aconselha.

De modo geral, embora o aumento na taxa de transmissão, os sintomas provocados pela variante Delta são os mesmos de outras versões da Covid-19. É preciso ficar atento a febre, dores no corpo, tosse, dor de cabeça e de garganta, perda de olfato e de paladar, coriza e diarreia. Em caso de suspeita, o ideal é dirigir-se imediatamente ao serviço de Covid-19 instalado na Secretaria Municipal de Saúde.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here