Prefeitura de Montenegro informa que projeto para melhorias está sendo elaborado, mas não existe previsão para reabertura do auditório do Centro Cultural - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A Espetáculo Escola de Arte (antiga Plié & Cia Ballet), de Montenegro, teve que realizar o seu Festival de Inverno em outra cidade. Por falta de um local em Montenegro, o espetáculo de dança do último sábado, dia 16, foi apresentado no Centro de Cultura de São Sebastião do Caí. E não foi a primeira vez que isso ocorreu. Conforme a diretora Débora Primaz, desde 2016 os espetáculos da escola não são realizados no teatro Roberto Atayde Cardona, que era o tradicional palco das grandes apresentações culturais de Montenegro. Desde então o auditório do Centro Cultural, situado entre a Fundarte e a Biblioteca Pública, no centro de Montenegro, está fechado para reformas. E ainda não existe uma previsão de quando será reaberto.

Espetáculo Escola de Arte, de Montenegro, lotou o Centro de Cultura, no Caí
– Reprodução/FN

O Fato Novo já fez diversas reportagens sobre a situação do teatro Roberto Cardona e os prejuízos que seu fechamento tem causado para as entidades. O auditório, quando fechou, tinha 365 poltronas, praticamente o dobro do teatro Therezinha Petri Cardona, situado na Fundarte. “Produzimos arte em Montenegro e não temos um local para apresentar nossas produções aqui. Soma-se a isso todo o transtorno que os familiares dos nossos alunos têm para levá-los até outra cidade para se apresentarem”, lamenta Débora Primaz. E não é só no dia da apresentação, pois antes têm os ensaios.

Outras escolas, entidades e a própria Fundarte enfrentam o mesmo problema. A Cidade das Artes está carente de um local apropriado, com estrutura, para poder sediar grandes espetáculos culturais. Durante os dois anos de pandemia não se sentiu tanta falta, já que os eventos não estavam sendo realizados. Mas agora, com a volta das atividades presenciais, novamente o teatro está fazendo falta. E suas portas fechadas serão ainda mais sentidas na proximidade do final do ano, quando ocorrem a maioria dos espetáculos de encerramento do ano, o quê já foi destaque na reportagem do Fato Novo de novembro do ano passado, quando foi mostrada a realidade do auditório, com poltronas em estado precário, piso ainda com carpete, falta de pintura e parte elétrica, cortinas e escada de acesso ao palco. Sem contar os problemas de umidade e cupim.

Auditório do Centro Cultural necessita de várias melhorias e projeto está sendo elaborado
– Arquivo/FN

De acordo com o secretário municipal de obras públicas, engenheiro Edson Eggers Machado, está sendo elaborado um projeto de reforma do teatro. “Assim que o projeto estiver concluído iniciaremos a contratação da empresa para executar a obra. No momento não temos como precisar data para a conclusão dos trabalhos”, declarou, garantindo que o projeto está em andamento. “Sabemos e entendemos da prioridade em devolver o teatro para a comunidade, já que infelizmente está fechado há tantos anos. Faremos o possível para que seja reformado e volte a acolher grandes eventos”, completa.

O teatro Roberto Cardona é mais um espaço público que o atual governo municipal busca retomar e concluir a obra, a qual ficou pendente de administrações anteriores. O mesmo já ocorreu com a EMEI Centenário, que teve a sua construção retomada com recursos próprios, e o ginásio Domingos dos Santos (Domingão) do Parque Centenário, o qual ficou fechado por 17 anos e agora voltou a sediar jogos. Entretanto, a situação do teatro parece mais complexa. Ele foi interditado há quase seis anos, quando foi dado andamento a obra de reforma da biblioteca e isso incluía também o acesso e o hall de entrada, onde estão os banheiros. Como é um local de grande concentração de pessoas, são maiores as exigências quanto ao Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI), exigido pelos bombeiros. Desde a tragédia da boate Kiss, em Santa Maria em 27 de janeiro de 2013, que resultou em 242 mortes, aumentou o rigor e a fiscalização sobre as medidas de prevenção de incêndios. O secretário Edson Eggers Machado diz que o PPCI foi executado e está sendo aguardado o alvará do Corpo de Bombeiros.

A Biblioteca reabriu no início do ano passado, mas o auditório do Centro Cultural segue fechado. Além do PPCI, várias melhorias ainda são necessárias. Algumas obras foram realizadas. Na parte do saguão da entrada os três banheiros foram reformados e estão prontos, inclusive um com acessibilidade. Também os banheiros do camarim foram reformados. Mas o teatro Roberto Cardona depende de uma reforma geral, incluindo a substituição das poltronas, forração, infiltrações do telhado, instalações elétricas e outras melhorias.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here