Os trens que passavam por Portão, Capela, Montenegro, Maratá, Salvador do Sul, São Pedro da Serra e Barão, quando iam de Porto Alegre a Caxias eram a vapor e tinham o apelido de Maria Fumaça Reprodução/Internet

O site Estações Ferroviárias do Brasil apresenta os seguintes dados sobre a estrada de ferro que passava por Capela de Santana e Pareci Velho, chegando a Montenegro e seguindo depois para Caxias do Sul.

HISTORICO DA LINHA: A linha Porto Alegre-Caxias foi aberta no trecho entre a Capital e São Leopoldo em 1874, como a primeira ferrovia do Estado. Em 1876 foi prolongada até a estação de Novo Hamburgo. Em 1905, a Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1909-1920) assumiu a linha. Apenas em 1909 a linha teve continuação, partindo de Rio dos Sinos, 7 km antes de Novo Hamburgo e chegando até Carlos Barbosa, e, no ano seguinte, até Caxias (Caxias do Sul). Em 1920 a linha foi assumida pela VFRGS. Foi desativada nos anos 1980; o trecho até São Leopoldo foi retificado e serve hoje ao sistema Trensurb da Grande Porto Alegre (trens metropolitanos); entre Rio dos Sinos e Montenegro, a linha foi erradicada em 1963, substituída por uma variante; para a frente, existem trilhos ainda em alguns pedaços, mas oficialmente a ferrovia a partir de Montenegro foi extinta em 1994 pela RFFSA.

ESTAÇÃO MARATÁ: A estação de Maratá foi inaugurada em 1909 pela Cie. Auxiliaire. Desativada no final dos anos 1970, seus trilhos foram retirados. Próxima à estação ficava uma pedreira da ferrovia, a pedreira Maratá. Emancipou-se como município em 1992. “O pátio da antiga estação abriga um parque da prefeitura, o prédio talvez ainda exista, faz tempo que não vou até lá” (Gelson Garcia, Montenegro, RS, 03/2005). “O ônibus da foto abaixo fazia a conexão com o trem que vinha de Porto Alegre pela manhã, levando os passageiros para Lajeado e Estrela, hoje cidades de porte médio, mas que na época, devido à falta de rodovias, dependiam do trem para se deslocarem até a capital. O mesmo voltava a tarde trazendo os passageiros com destino a Montenegro e Porto Alegre. Na foto o ônibus está em frente à estação aguardando a chegada do trem Hoje, o que existe da estação de Maratá é a plataforma e a velha caixa d água transformada em caneco de chopp. Infelizmente a Prefeitura demoliu todas as dependências da estação” (Gelson Garcia, Montenegro, RS, 01/2006). O mesmo Gelson informa, em julho de 2006, que a estação foi reconstruída no mesmo local. (Fontes: Gelson Garcia; Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, 2002; Relatório da VFRGS de 1929)

ESTAÇÃO PARECI: A estação de Pareci foi aberta em 1909. A linha entre Rio dos Sinos e Montenegro foi desativada por causa da abertura da linha General Luz-Passo Fundo por volta de 1963, tendo sido os trens de passageiros e cargueiros desviados por essa linha, para chegarem a Montenegro e Caxias. Em 1962 ainda havia registros de trens de passageiros parando em Pareci. Em 1965, já não mais e a variante estava em operação. A estação serve hoje (03/2005) de depósito a uma floricultura, ficando quase totalmente encoberta pelas árvores. (Fontes: Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000; Gelson Garcia, 03/2005)

ESTAÇÃO AZEVEDO: A estação de Capella de Santana foi aberta em 1909. O nome foi alterado nos anos 1940, para Azevedo. A linha entre Rio dos Sinose Montenegro foi desativada por causa da abertura da linha General Luz-Passo Fundo por volta de 1963, tendo sido os trens de passageiros e cargueiros desviados por essa linha, para chegarem aMontenegro e Caxias. Em 1962 ainda havia registros de trens de passageiros parando em Azevedo. Em 1965, já não mais e a variante citada já estava em operação. Em 1979, a estação já estava mal-cuidada e abandonada, e, aparentamente, já sem trilhos, de acordo com fotografias desse ano (ver abaixo). Não sei sua situação atual. “Sempre que vejo ou leio sobre a Segunda Guerra Mundial e estações, lembro de uns papéis que um senhor já falecido me mostrou há uns 35 anos atrás. Era uma “decima” escrita por um soldado que fazia parte de um batalhão com destino a Rio Grande em 1944 ou 1945. A cada estação que o trem passava, o soldado escrevia um verso. Lembro-me dele se referir a estação Azevedo e também de João Rodrigues, minha terra natal em Rio Pardo.” (Aldecy Vargas, 2003). Em 1987, o prédio da estação foi demolido para a construção, em seu lugar, dee uma fábrica de calçados. O local onde a estação ficava, hoje pertence ao município de Capela de Santana, desmembrado de São Sebastião do Caí. (Fontes: Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000)

ESTAÇÃO SÃO SALVADOR: A estação Barão foi inaugurada em 1909 pela Cie. Auxiliaire. Em agosto de 1913, a estação passa a se denominar Campestre (*); o nome original foi restaurado algum tempo (quando?) depois. Desativada no final dos anos 1970, seus trilhos foram retirados e hoje o prédio serve como centro ocupacional. O município se chama Salvador do Sul, mas a estação aparentemente manteve o nome de São Salvador até a sua desativação. (Fontes: (* Revista Brazil Ferro-Carril, 31/08/1913;Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul,IPHAE, 2002)

ESTAÇÃO BARÃO: A estação de Barão foi inaugurada em 1909 pela Cie. Auxiliaire. Desativada no final dos anos 1970, seus trilhos foram retirados e hoje o prédio serve de sede para secretarias da Prefeitura do Município. (Fontes: Guias Levi, 1940-1981; Revista Ferroviária, 08/2000; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul,IPHAE, 2002)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here