Vereador que escondeu votos na barriga pode ser cassado

Após votação para a presidência da Câmara, Sidnei Schaefer (à esquerda de pé de azul) escondeu cédulas dentro da calça e saiu da sessão, voltando depois e devolvendo o material - Reprodução/FN

A Câmara Municipal de São Vendelino recebeu, nesta semana uma representação por acusação de quebra de decoro parlamentar contra o Vereador Sidnei Schaefer, o “Nei” (Solidariedade).

Assinada por sete pessoas, a denúncia diz respeito aos fatos ocorridos na Sessão Ordinária de segunda-feira passada, dia 19 de dezembro, durante o período da eleição da Mesa Diretora de 2023. Segundo o documento, após a apuração dos votos, o denunciado teria se aproveitado da distração dos demais vereadores e da assessoria para subtrair as cédulas de votação que estavam em posse da Mesa Diretora, empreendendo fuga e levando consigo as cédulas.

Atitude do vereador Sidnei Schaefer, flagrada em vídeo, foi denunciada por quebra de decoro parlamentar
– Reprodução/FN

O vídeo de transmissão da sessão mostra o vereador escondendo as cédulas na barriga, na parte interna da calça, por detrás da sua camisa. E ao ser questionado pelo presidente da Câmara se tinha pegado as cédulas, Sidnei atende ao telefone e deixa o recinto, mesmo sendo alertado que não poderia sair. “É um absurdo”, diz o presidente do legislativo, que comandou a votação. Aproximadamente 10 minutos após deixar o recinto, o denunciado teria retornado ao plenário, trazendo consigo as cédulas de votação que havia subtraído. A denúncia narra, ainda, que o denunciado não devolveu voluntariamente as cédulas para a Mesa Diretora, tendo sido necessário que o Presidente do Legislativo, Emir Kuhn (PTB), determinasse à Assessoria Legislativa que recolhesse as cédulas junto ao vereador. Nei também será investigado por abandono de plenário.

A denúncia foi protocolada junto à Secretaria da Câmara e encaminhada para análise da Assessoria Jurídica. Posteriormente, deverá ser encaminhada ao Plenário da Casa. A Mesa Diretora também apurou que quatro vereadores rubricaram o verso das suas cédulas de votação, quebrando o sigilo da votação determinado pela Lei Orgânica, e poderão ter suas condutas apuradas nos próximos meses.

Repercussão

O caso inusitado ganhou grande repercussão, inclusive sendo destaque em reportagem do site G1, o portal de notícias da TV Globo. A reportagem do G1 fez contato com o vereador Nei, o qual alegou que pegou as cédulas “apenas para conferir” e que não conseguiu falar antes”. Diz que saiu do recinto para conferir com calma o resultado. No final da sessão preferiu falar somente sobre o seu trabalho na Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente e os serviços executados pela Prefeitura.

Com seis mandatos, Schaefer estava de secretário municipal da agricultura e pediu exoneração para poder votar na vereadora Martina Seibert (PTB), candidata da situação. O vereador Emir ficou surpreso com a atitude do colega.

Ex-prefeito Régis Fritzen foi eleito presidente da Câmara
– Crédito: Câmara Municipal

A eleição terminou empatada em 4 votos a 4, com um voto em branco, sendo o ex-prefeito Régis Fritzen (MDB), da oposição, eleito pelo critério de maior idade, de acordo com o previsto no regimento interno da Câmara. Além de Régis, a nova mesa diretora para 2023 conta com os vereadores Emir Kuhn (vice), Gerson Royer (MDB) de primeiro secretário e como segundo secretário José Magerl (PTB).

0 Comentários

Deixe um Comentário

11 + sete =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página