Asfalto no Passo da Taquara pode servir de desvio e obrigar Governo a mudar local do pedágio

Prefeitura do Caí já assinou contratos para asfaltamentos, incluindo 3,6 quilômetros no Passo da Taquara (foto), na ligação da RS 122 com a RS 240 em Capela de Santana - Crédito: Fato Novo

No final da tarde ontem, domingo, aconteceu no quilômetro 4 da RS 122, altura da reta do Areião, um protesto contra a instalação de uma nova praça de pedágio naquele local em São Sebastião do Caí. Lideranças do Caí e região organizaram a manifestação, que iniciou às 17 horas e teve expressiva participação, de mais de cem pessoas.

Caienses se manifestaram ontem contra o pedágio no Areião
– Crédito: Fábio Fuchs Klein/FN

Num acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, o trânsito ficou interrompido totalmente apenas por alguns minutos, ficando depois em meia pista. Com faixas como “Pedágio Não!” e “São Sebastião do Caí contra o Pedágio”, os manifestantes receberam o apoio de muitos condutores que passaram buzinando.

A indignação dos manifestantes não é só pelo local escolhido pelo Governo do Estado, mas pelo fato de ter cobrança nos dois sentidos e sem direito a isenção para moradores locais, ao contrário do atual pedágio da EGR no Rincão do Cascalho, em Portão, que deverá ser desativado. E a tarifa máxima proposta para o Caí é a mais alta entre as previstas na região, de R$ 9,95.

O prefeito caiense Júlio Campani, que participou do protesto ao lado do vice Mozar Hoff e vereadores, ainda acredita na mudança de local, o quê pode ocorrer inclusive após a concessão, dependendo da decisão da empresa vencedora do leilão. Ele esteve novamente com o secretário extraordinário de parcerias do Estado, Leonardo Busatto, na última quinta-feira, dia 27, questionando sobre o local escolhido e que os motoristas vão acabar desviando pela estrada do Passo da Taquara, que será asfaltada na ligação da RS 122 com a RS 240, entre o Caí e Capela de Santana. Depois podem seguir para o Vale do Sinos pela RS 240 ou pela Transaçoriana, que também deve ser asfaltada na ligação entre Capela e Portão com a BR 386 e a BR 448 (Rodovia do Parque) sem precisar passar pela congestionada BR 116 e não pagando nenhum pedágio. Busatto alegou que desconhecia essa rota alternativa e que iria conversar com o governador Eduardo Leite, citando que podem ocorrer mudanças no edital e até alteração do local após a concessão. Uma das alternativas é mudar para o quilômetro 2, que seria mais perto do atual pedágio do Rincão do Cascalho, junto da divisa com Portão.

Busatto informou que alteração pode ocorrer mesmo após a concessão
– Crédito: Prefeitura do Caí

Segundo o secretário Leonardo Busatto, que coordena o processo de concessão de rodovias, a área exata da praça do pedágio ainda não está definida. “O local previsto é referencial para fins de licitação. A área exata só vai ser conhecida depois da assinatura do contrato, quando a concessionária fizer os estudos e propuser o local definitivo. Qualquer coisa que se faça agora é prematuro. Mesmo que o Governo diga que será em outro quilômetro, lá na frente pode ser que o local seja nesse previsto”, afirmou Busatto, em nota divulgada ontem pela Secretaria de Parcerias do Estado. Inicialmente o pedágio na RS 122 estava previsto para ser instalado no quilômetro 22,5, altura do bairro Bela Vista, em Bom Princípio, mas depois mudou de local. O mesmo aconteceu com o pedágio anunciado para o quilômetro 30 da RS 240, na altura da localidade de Paquete em Capela de Santana, com tarifa de R$ 7,28, que no começo foi divulgado para o KM 12,6 da RSC 287 na localidade de Muda Boi em Montenegro. O Governo do Estado espera realizar em abril o leilão que definirá a empresa vencedora da concessão.

0 Comentários

Deixe um Comentário

dezenove − oito =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página