Falta de água no bairro São Martim continua e causa revolta dos moradores

Corsan informa que está buscando resolver o problema e tem fornecido água com caminhão-pipa, além de pedir que a população evite o desperdício - Crédito: Corsan

O problema de falta de água continua no bairro São Martim, em São Sebastião do Caí e Capela de Santana, causando protestos dos moradores. Muitas pessoas têm que se virar buscando água em vizinhos que tenham reservatório ou poço artesiano. “Não temos água para cozinhar, tomar banho, lavar louça e roupa. São 3 a 4 dias sem água. Quando vem é aos pouquinhos. Precisamos de ajuda. Não sabemos mais para quem recorrer”, reclama Marcia Schvindt.

Muitos moradores estão sendo atendidos por vizinhos, em gestos de solidariedade. Em garrafas plásticas, baldes e bacias, buscam o necessário para suas casas. Eles calculam que são entre 5 a 6 mil moradores atingidos pela falta de água. E a situação é ainda mais grave com o intenso calor. “Disponibilizamos a torneira que tem no pátio para quem quiser trazer suas garrafas ou galão e abastecer”, postou uma moradora no facebook, oferecendo aos vizinhos que estão sem água.

Moradores têm que buscar água em vizinhos
– Reprodução/FN

Na última terça-feira, dia 6, o prefeito Júlio Compani já tinha se reunido com o engenheiro Marcelo Faro, da Corsan, pedindo providências. Além da São Martim, os problemas também ocorrem em outros pontos da cidade, como nos bairros Conceição e Loteamento Popular. O prefeito alertou que, caso a falta de abastecimento continuasse, iria notificar a Corsan e poderia aplicar multas. “A Corsan garantiu que iria trabalhar para evitar este problema, mas surpreendentemente soube que a falta de água continua”, lamenta Campani, lembrando que a responsabilidade é da Corsan.

O engenheiro Marcelo Faro diz que a Corsan está fazendo todos os esforços para resolver os problemas. Diz que a Corsan tem sido cobrada dos prefeitos do Caí, Júlio Campani, e da Capela, Alfredo Machado, para que resolva o problema. Entende que a situação está sendo agravada pelo excesso de consumo dos últimos dias, devido às altas temperaturas. Pede que a população evite o desperdício. Sobre a falta de abastecimento e possíveis vazamentos, pede que os consumidores registrem as reclamações nos canais oficiais da Corsan, para que a companhia realize as melhorias necessárias. Os registros podem ocorrer de forma online, em site e aplicativo. E diz que nos próximos dias deve ser instalado um novo reservatório, maior, para abastecer o bairro São Martim, devendo reduzir os problemas para o próximo verão.

Nota da Corsan

O gestor da Corsan no Caí e Capela, Rafael Companhoni Machado, relata que os últimos episódios de desabastecimentoo no bairro São Martim e na cidade de Capela de Santana foram por motivos distintos. Diz que nos dias 19 e 20 de novembro houve um problema na captação de água do primeiro recalque em São Sebastião do Caí, ficando praticamente 11 horas sem operação, o que prejudicou todo o sistema de abastecimento de água das duas cidades. Já no último final de semana, 3 e 4 de dezembro, Rafael relata que houve um rompimento da adutora que distribui água para o sistema da São Martim, Conceição e Capela de Santana, ficando sem operação durante algumas horas até a manutenção corretiva ser realizada. “Tudo isso acompanhado de altas temperaturas (consumo muito alto de água), num sistema que vem operando no seu limite e por sua vez é muito extenso, leva alguns dias para normalizar 100% a sua reservação, quando enfrenta problemas dessa magnitude. Nesse período o abastecimento fica oscilando”, afirma. “Dias 5, 6 e 7 de dezembro o sistema operou dentro da sua normalidade, abastecendo todos os seus usuários. Dia 8, quinta-feira, no início da noite a reservação começou a ficar prejudicada novamente. Na sexta feira, dia 9, o sistema amanheceu bem prejudicado”, completa.

Rafael explica que a unidade de São Sebastião do Caí concentrou suas equipes para identificar um possível vazamento de grande porte para tal baixa de reservação repentina registrada ontem. “Não foi localizado nada até o momento. Havia alguns vazamentos no sistema de pequeno porte aonde se intensificou a realização dos mesmos. As equipes da Corsan realizaram uma grande quantidade de manutenções corretivas ontem até a noite e hoje durante o dia. A informação é que praticamente esses pequenos vazamentos estão zerados no sistema. A vazão da captação de água do rio Caí está menor do que o habitual devido ao baixo nível do manancial. Estão sendo tomadas medidas junto a COP, cujo gestor é o engenheiro Ângelo Marcelo Faro, para utilizar recursos e mitigar o problema existente, todo o l/s (litro por segundo) captado a mais nesse momento de escassez ajuda. O quadro funcional da unidade de São Sebastião do Caí é bem reduzido. A equipe tem se empenhado ao máximo para manter a população abastecida. A superintendência regional enviará uma equipe de reforço operacional, a partir de segunda-feira, e os pesquisadores de vazamentos”, informa o gestor. Rafael comenta ainda que tem investimentos previstos para o ano de 2023, como por exemplo a substituição da adutora de água bruta que hoje opera de forma prejudicada. “Ela existe a cerca de 50 anos”, diz. Afirma que está previsto também a substituição de redes antigas em alguns pontos necessários, além de novo reservatório.  Destaca que a Corsan também tem levado caminhões-pipa para o bairro visando amenizar o problema. “É importante salientar que nesses episódios a população economize e não desperdice água”, conclui.

0 Comentários

Deixe um Comentário

14 − oito =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página