Mesmo com as dificuldades econômicas impostas pela pandemia, o Vale do Caí obteve um bom desempenho na geração de empregos no ano passado. Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência nessa semana apontam um saldo positivo de 2.274 empregos, na diferença entre contratações e demissões. O levantamento inclui os postos de trabalho formal, com carteira assinada, durante o ano de 2021. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged.

O cenário positivo aponta a retomada da economia desde o início da pandemia, com a volta da confiança nos investimentos impulsionada pela baixa nas taxas de juros. O Rio Grande do Sul também teve saldo positivo na geração de empregos no mercado de trabalho formal no ano passado, com cerca de 140 mil vagas com carteira assinada de janeiro a dezembro. Após os maiores obstáculos enfrentados pela pandemia do coronavírus em 2020, o avanço da vacinação e a reabertura das atividades econômicas foram importantes para a mudança no cenário. No Brasil o saldo foi positivo de 2,7 milhões, com destaque principalmente para o setor de serviços, seguido do comércio, indústria e agropecuária.

Montenegro, que é a maior cidade da região e tem o principal parque industrial, teve o maior saldo de empregos positivos, com 1.048, seguido de Portão. Bom Princípio, que aparece em terceiro, novamente é destaque, ainda mais se for comparar proporcionalmente ao tamanho do município. Feliz, que tem praticamente a mesma população de Bom Princípio, teve saldo bem menor – 342 a 63. Capela de Santana e Brochier, que têm índices preocupantes em outras estatísticas, como do produto interno bruto (PIB), mostraram recuperação na geração de empregos. Preocupantes são os números dos municípios com maior saldo negativo em 2021, que foi o caso de Salvador do Sul e São Sebastião do Caí. Os números podem ser conferidos na tabela.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here