Listas de boicote a estabelecimentos viram caso de Polícia

Lista foi encaminhada com frequência pelo WhatsApp /Reprodução/Fato Novo

Listas com nomes de empresas, estabelecimentos comerciais, serviços e profissionais liberais, estão sendo divulgadas em grupos de redes sociais, com postagens incentivando boicote para quem supostamente teria apoiado ou votado no candidato do PT à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que foi o vitorioso nas eleições. Até mesmo pessoas sem identificação política da região estão sendo alvo em grupos de whatsapp.

A Polícia Civil confirma que ocorreram registros. Boletins de ocorrência, por difamação, foram registrados em Delegacias como da Feliz e Bom Princípio. Os fatos já vêm sendo constatados antes mesmo do segundo turno das eleições. E se intensificaram após o resultado do pleito, por pessoas que são contrárias ao resultado da votação. Alguns estabelecimentos e serviços, que foram incluídos em listas, chegaram a emitir notas comunicando que não tem qualquer ligação política ou partidária e que nunca manifestaram apoio para candidaturas.

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Feliz (Acisfe) também divulgou uma Nota de Repúdio contra uma lista que estaria circulando em redes sociais. “Entendemos que a liberdade de expressão é considerada, por excelência, pilar de uma sociedade justa, cuja função principal é viabilizar e efetivar a democracia em seus mais variados âmbitos”, destacou a nota, que citou ainda o artigo 5º da Constituição brasileira. “Tentar prejudicar ou incitar boicote aos que pensam diferente é uma situação totalmente contrária à liberdade de expressão e pensamento livre”, completa, ressaltando a importância de vivermos em um espaço plural e de respeito às pessoas e a comunidade.

Ações na justiça

Naiton Gama sugere registro na Delegacia e ação na Justiça para responsabilizar autores e quem compartilha as listas de boicote
– Reprodução/FN

Coordenador regional do Partido dos Trabalhadores (PT) no Vale do Caí, o caiense Naiton Gama afirma que chegou ao seu conhecimento pelo menos quatro listas que estariam circulando em grupos de whatsapp na região. “A nossa instrução é de identificar os que estão fazendo circular as listas e entrar com processo nas esferas responsáveis, como na área cível por danos morais. E estamos analisando se cabe na área criminal, dependendo do teor das mensagens”, declara. Naiton compara o boicote com a perseguição dos nazistas aos judeus durante o holocausto. “É como no Judenboykott. Muito sério. As pessoas não têm noção da gravidade do que estão embarcando”, diz.

Além da Feliz e Bom Princípio, Naiton cita que foram verificadas listas circulando também em São Sebastião do Caí e Montenegro. E também em municípios menores da região. “Lista de locais do Caí que são PT. Não é para freqüentar”, destaca o topo de uma das listas, com nomes de estabelecimentos e serviços.

Os casos se repetem em outras cidades do Estado e do país. Em alguns municípios mensagens defendem a colocação de um adesivo com a estrela do PT nos estabelecimentos que teriam supostamente apoiado Lula, para incentivar o boicote. O Ministério Público tem recebido várias denúncias, assim como já aconteceu nos casos de assédio eleitoral e bloqueios de rodovias, onde a Justiça determinou multas para empresas e manifestantes.

0 Comentários

Deixe um Comentário

1 × quatro =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página