Família de eletricista executado em parada de ônibus pede por justiça

Completou no último dia 12 de novembro quatro anos do assassinato do eletricista Carlos Alberto Bittencourt Antunes, de 48 anos. Na tarde do homicídio, ele estava numa parada de ônibus próximo ao Parque Centenário de Montenegro, quando foi executado a tiros. Atualmente ninguém está preso. Na última semana ocorreu a primeira audiência no Fórum de Montenegro com a presença de suspeitos de envolvimento no crime. A data do julgamento ainda deve ser marcada.

Familiares do eletricista entraram em contato com a reportagem do jornal, lamentando a demora para ocorrer o júri e a impunidade até o momento. “Eles têm que pagar pelo que fizeram. Destruíram nossa família e continuam livres”, protesta um parente da vítima. “Ele trabalhava em Montenegro e morava em Portão. Fazia oito meses que tinha se separado e foi residir em São Leopoldo. Era um exemplo de ser humano”, completa.

Polícia apreendeu munição e dinheiro na casa de um dos suspeitos
– Crédito: Polícia Civil

Em 3 de dezembro de 2018 a Polícia Civil chegou a prender um suspeito de envolvimento na morte, durante cumprimento de mandatos de busca e apreensão em Portão. O indivíduo preso na época teria tido um relacionamento afetivo com a ex-esposa do eletricista e a Polícia encontrou munição na sua casa. A suspeita da Polícia é de que ele era o motorista do carro que se dirigiu a Montenegro, com um comparsa que teria matado Carlos Alberto. A munição encontrada na apreensão era de revólver 38, do mesmo calibre que atingiu o eletricista. O indivíduo preso negou participação no homicídio e depois foi liberado mediante pagamento de fiança.

A execução

O assassinato aconteceu por volta de 17h35min do dia 12 de novembro de 2018, uma segunda-feira. O eletricista, que trabalhava para uma empresa que presta serviços para a RGE Sul, após ter saído do trabalho estava junto da parada de ônibus, na margem da RS 287, entre o Parque Centenário e o trevo do Shell. Como fazia sempre após o serviço, iria pegar o ônibus para voltar para casa. Ele era pai de três filhos e estava separado.

Homem  foi morto a tiros quando aguardava o ônibus na margem da RSC 287 
– Guilherme Baptista/FN

Conforme testemunhas, um homem desceu de um veículo e foi em direção a Carlos Alberto disparando pelo menos três tiros. O eletricista tentou fugir, mas acabou sendo executado, caindo na calçada e não resistindo. O autor dos disparos teria fugido em direção ao Parque Centenário, não sendo mais avistado. A suspeita é de que tenha fugido no mesmo veículo que tinha o deixado perto da parada de ônibus.

Carlos Alberto não tinha antecedentes criminais. E nada foi roubado. A suspeita da Polícia é que tenha sido um crime sob encomenda. Para o Ministério Público, acusados teriam “orquestrado” a morte da vítima para receber dinheiro do seguro do eletricista. Os três suspeitos estiveram na audiência da última quarta-feira no Fórum de Montenegro. Em dez dias está prevista uma nova audiência para instrução do processo. A data do julgamento ainda deve ser marcada.

0 Comentários

Deixe um Comentário

1 × 5 =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página