Escola da Brigada tem grandes prejuízos com a enchente e pode deixar a região

Mais de um metro de água entrou nas dependências da EsFES, ocasionando muitos prejuízos - Crédito: EsFES

A Escola de Formação e Especialização de Soldados (EsFES), com sede em Montenegro e que funciona faz 50 anos na formação de policiais militares, pode deixar o Vale do Caí. É que a escola da Brigada Militar foi mais uma vez muito atingida pela enchente.

Em novembro do ano passado a cheia já tinha causado grandes estragos, quando entrou nas salas de aula e demais dependências em cerca de 10 centímetros. Já agora no início de maio foi bem pior, atingindo 1m40cm de altura.

Desde novembro do ano passado 134 alunos estão em formação, praticamente na metade do curso, que teve de ser paralisado. Os alunos-soldados, de diversas cidades do Rio Grande do Sul e até de outros Estados, conseguiram retirar seus bens saindo com água na cintura.

Mesmo com o plano de evacuação, cerca de 300 armários foram destruídos, além da destruição de calçadas de acesso e o lodo se espalhando pelas instalações. O Comando Geral da Brigada no Estado ainda avalia a permanência da escola no mesmo local. Também pode ir para outras instalações em Montenegro ou até mudar de cidade.

A EsFES é importante porque os alunos aumentam a segurança nas cidades da região durante o período de estágio e alguns acabam ficando depois no Vale do Caí. Além disso, movimenta o comércio local e o setor imobiliário, beneficiando a economia do município e da região.

A EsFES já tinha tido muitos prejuízos na enchente de novembro e agora danos ainda maiores na última inundação Crédito das fotos: EsFES e FN

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

três + três =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página