Governo do Estado anunciou praça de pedágio para o KM 12,6 da RSC 287, na localidade de Muda Boi, mas o prefeito negocia a mudança para outro local - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O quilômetro 12,6 da RSC 287, anunciado pelo Governo do Estado como o local em que será instalada uma praça de pedágio em Montenegro, fica numa reta da localidade de Muda Boi, no trecho entre a usina de compostagem da Ecocitrus e o antigo Salão do Tio Ramiro.

Moradores Aldo Hetinger e LUiz Otavio da Motta: “não sabemos de nada”
– Crédito: Daniel Fuchs Klein/FN

“Não estamos sabendo de nada”, se surpreendem Luiz Otávio da Motta e Aldo Etinger, que tem suas propriedades bem na frente do local onde está previsto o pedágio. “Para nós vai atrapalhar. Vamos ter que pagar pedágio todo dia. Para ir a Montenegro e voltar”, reclama Luiz Otávio. “Estamos sabendo disso pela reportagem”, estranha Aldo. Por outro lado eles esperam que, se de fato confirmar a instalação do pedágio, que pelo menos ocorra a melhoria do asfalto, que tem muitos buracos e sequer possui acostamento, além de trazer mais segurança. Aldo conta que recentemente foi vítima de assalto, tendo sido amarrado com a família e roubaram um trator. “Tem um grande movimento na rodovia, mas falta segurança. Até fizeram um remendos. Talvez com o pedágio vá melhorar e até vão duplicar”, espera Luiz Otávio.

Prefeito Gustavo Zanatta também diz que ficou surpreso com o anúncio e já marcou reunião com o Governo do Estado para segunda-feira
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

A surpresa quanto ao anúncio do pedágio no Muda Boi não foi só dos moradores. As lideranças do município também desconheciam. “Estou surpreso. Já agendamos uma reunião com o secretário Leonardo Busatto para segunda-feira”, diz o prefeito Gustavo Zanatta. Ele quer discutir as contrapartidas da eventual instalação do pedágio na RSC 287, por conta da construção das rótulas no trecho do bairro Santo Antônio, onde o município deve investir cerca de R$ 6 milhões para aumentar a segurança. Zanatta diz que é preciso levantar mais informações, já que até então só se tinha o anúncio da desativação da praça do portão e da transferência do pedágio para a RS 122 em Bom Princípio ou São Sebastião do Caí.

Vereadores Talis Ferreira e Paulo Azeredo se manifestaram contrários ao pedágio no Muda Boi
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

O anúncio do pedágio para Montenegro também foi tema de manifestações na sessão da Câmara Municipal na noite de ontem, quinta-feira. O vereador Paulo Azeredo, que é do Muda Boi, protestou lembrando que Montenegro já tem um pedágio na BR 386. “É um absurdo. Estão tentando nos empurrar goela abaixo”, revolta-se. O vereador Talis Ferreira também protestou dizendo que é necessário a população se unir para impedir a instalação do pedágio. Já o vereador Gustavo Oliveira lembrou que nesta sexta-feira iniciam as consultas públicas e em julho estão previstas audiências públicas, oportunidade em que a comunidade poderá se manifestar.

O governo do Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apresentaram ontem o estudo prévio para o futuro edital de concessão de 1.131 quilômetros de rodovias estaduais à iniciativa privada. Estão previstos investimentos de R$ 10,6 bilhões nos 30 anos das concessões, sendo R$ 3,9 bilhões somente nos cinco primeiros anos. E a instalação de 22 praças de pedágio.

As estradas foram divididas em três lotes, e o critério adotado para a divisão focou em proximidade geográfica, lotes viáveis sob forma de concessão comum e extensão capaz de atrair o maior número de investidores. A expectativa é de que o edital seja publicado até o fim de setembro deste ano.

Trecho da RSC 287 em que deverá ser instalada a praça do pedágio em Montenegro
– Google Maps/Reprodução

A RSC 287, em Montenegro, faz parte do bloco 3, com tarifa mínima de R$ 5,22 e máxima de 6,96. Ao contrário do que acontece hoje no pedágio de Portão, que tem tarifa única para automóveis de R$ 6,50, nas futuras praças instaladas com a concessão a cobrança nos pedágios deverá ser nos dois sentidos e não terá isenções para moradores.

Com as concessões, o governo pretende oferecer uma solução de médio e longo prazo para os gargalos de infraestrutura nas regiões, assim como garantir melhores níveis de serviço e fluidez, reduzir acidentes e gerar emprego e renda. O projeto prevê a duplicação de 73% da malha viária com pista dupla ou tripla, 808,6 quilômetros de acostamentos, 831 adequações em acessos, manutenção frequente do asfalto, ampla sinalização, segurança para pedestres, socorro mecânico e médico 24 horas entre outros serviços. O diretor do Departamento de Parcerias Público-Privadas do Estado, Rafael Ramos, informa que está prevista a duplicação da RSC 287.

O governo receberá sugestões e contribuições da população para aprimorar a futura concessão por meio de consultas públicas. A partir desta sexta-feira (18/6), os interessados deverão realizar suas contribuições mediante o preenchimento do “formulário de contribuições”, que está disponível no site parcerias.rs.gov.br/rodovias. O formulário preenchido deve ser encaminhado para o e-mail [email protected], destacando no campo “assunto” o bloco a que se referem as contribuições. A data limite para as contribuições é 18 de julho de 2021. As sugestões serão respondidas pelo corpo técnico do governo do Estado. Audiências públicas também serão realizadas em datas a serem definidas.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here