Pronto Socorro Regional do HM será inaugurado hoje

Com investimento de quase R$ 1 milhão, Hospital Montenegro terá um espaço maior para atender pacientes em estado grave - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A inauguração do novo Pronto Socorro (PS) Regional do Hospital Montenegro (HM) acontece na tarde desta quarta-feira, dia 23, às 14h. Logo após a inauguração já está prevista a mudança para as novas instalações. Desde o ano passado a emergência estava instalada de forma provisória no antigo setor de Raio-x. Agora o PS retorna para a Rua Apolinário de Moraes, onde antes funcionava o plantão, só que num espaço bem mais amplo, moderno e confortável. Com isso terá mais leitos e equipamentos, proporcionando um atendimento melhor aos pacientes e melhores condições de trabalho aos profissionais.

São mais 400 metros quadrados de área, praticamente dobrando o espaço e capacidade do Pronto Socorro. Além de mais leitos nas salas vermelha e amarela, destinadas aos casos mais graves, terá recepção e salas de higienização, observação, pediatria, espera, triagem, inalação, DML, sutura, farmácia e sanitários. “Terá 17 salas, 21 leitos e oito banheiros”, informa o diretor do HM, Carlos Batista da Silveira.

Obra foi realizada com recursos da Consulta Popular, empresas e do próprio hospital – Crédito: Guilherme Baptista/FN

Batista lembra que a luta pelo novo Pronto Socorro iniciou em 2017, quando o investimento foi priorizado pela população da região na Consulta Popular. Mas o recurso de R$ 500 mil não era suficiente e foi iniciada uma campanha buscando o apoio de empresas do Vale do Caí. A pandemia acabou prejudicando o andamento dos trabalhos. Com a contribuição de 18 empresas, que repassaram diferentes valores, somando um total de R$ 271 mil, mais 214 mil reais de recursos do próprio HM, foi possível investir R$ 985 mil. Foi aproveitada na obra a mão de obra de funcionários do hospital, diminuindo os custos. “É muito grande a gratidão para podermos oferecer um local melhor aos nossos pacientes e funcionários”, ressalta Eliane Maria Leser Daudt, presidente da Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas (OASE), entidade mantenedora do HM que hoje está completando 111 anos.

O término da campanha ocorreu após a doação da empresa Agrogen, que fez o repasse do restante necessário para a conclusão dos trabalhos. Anteriormente, outras empresas também fizeram doações importantes, como: BR Incorporadora, Ouro do Sul, Nova Era Esquadrias em Madeira, Rönnau, Bonina Lavanderia, Imavida Diagnóstica, Biolo Restaurante e Eventos, CBC, IMEC, Sicoob, Sicredi, Ótica Jorge, Comauto, WA Comércio e Transporte de Frutas, Irmãos Nedel, Promed Serviços em Saúde e CTU Serviços Médicos.

Novos projetos

Casos de menor gravidade, os chamados azuis e verdes, devem ser atendidos nos postos de saúde dos municípios. No caso de Montenegro, também tem o pronto atendimento 24 horas na Secretaria Municipal da Saúde (Assistência), na Timbaúva. Desde o mês passado, após denúncia para a Vigilância Sanitária do Estado, está fechado o pronto atendimento no HM. Um novo PA está sendo construído junto ao Pronto Socorro Regional. Segundo Carlos Batista, a intenção é atender aos municípios conveniados.

Referência para 14 municípios da região, atendendo uma população de mais de 200 mil pessoas de forma gratuita através do 100% SUS, o Hospital Montenegro tem outros projetos. Um deles é o novo centro obstétrico e de parto natural no quarto andar, o qual nunca foi ocupado. E para isso deverá ser lançada uma nova campanha. “Realizamos uma média de 1.100 partos ao ano”, ressalta Batista.

O diretor manifestou preocupação com relação a redução de recursos por parte do Estado. “Tivemos um corte de 235 mil reais mensais do programa Assistir”, lamenta o diretor Carlos Batista. Por isso diz que foi necessário suspender alguns atendimentos, como de traumatologia, cirurgias eletivas, entre outros. Pacientes de Montenegro, que necessitam deste atendimento, estão sendo encaminhados para outras cidades, como São Sebastião do Caí, Esteio e Sapucaia do Sul. Batista acredita que para o próximo ano, num acordo com municípios e Estado, o HM, que tem uma grande estrutura, possa voltar a fazer esses atendimentos.

Batista informa que o HM recebeu autorização para fazer atendimentos ambulatoriais, como de exames, consultas e pequenas cirurgias, através de convênios, privados e pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS-Caí). Ele destaca que o Hospital Montenegro não deixará de ser 100% SUS, mas a partir de janeiro poderá oferecer 20% mais de atendimentos para obter mais recursos.

0 Comentários

Deixe um Comentário

4 + dezoito =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página