Nesta quarta-feira nova empresa deve assumir a coleta e nesta noite a Prefeitura está recolhendo o lixo acumulado - Crédito: Prefeitura

Iniciou às 19 horas uma operação emergencial de recolhimento do lixo em Montenegro. O prefeito Gustavo Zanatta anunciou uma força-tarefa integrada por albergados do sistema prisional (presos do semi-aberto), servidores e veículos da própria Prefeitura. Mesmo assim, a comunidade é orientada a não colocar novos resíduos na rua, uma vez que já existe grande quantidade a ser removida, pois o recolhimento não ocorre desde a última sexta-feira. Até amanhã, quarta-feira, a Prefeitura acredita que uma nova empresa deve assumir o serviço, normalizando a coleta.

Equipe foi mobilizada para a operação emergencial até nova empresa assumir a coleta
– Crédito: Prefeitura

Nesta terça, depois que a Ecosul Ambiental abandonou os trabalhos, demitindo a equipe e levando embora os caminhões, iniciou o processo de rescisão do contrato. De outro lado, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente abriu outra contratação emergencial e estabeleceu até as 15h desta tarde para a habilitação dos interessados. Em torno de 15 empresas encaminharam orçamentos.

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, José Clébio Ribeiro da Silva, na manhã desta quarta-feira deve ocorrer a definição do vencedor e a redação do contrato. “Se tudo correr bem, poderemos encerrar a crise”, comentou. A vencedora fará a coleta de cerca de 40 toneladas diárias de resíduos e terá de operar com pelo menos cinco caminhões.

Durante coletiva de imprensa hoje de tarde, o prefeito Gustavo Zanatta explicou que a Administração Municipal está fazendo, em tempo recorde, tudo que a lei permite para resolver o problema. “Pedimos a colaboração dos montenegrinos. Logo retornaremos à normalidade”, observou.

Entenda o caso:

– A empresa Ecosul vinha atuando em Montenegro desde setembro, por meio de um contrato emergencial de três meses, ao custo médio mensal de R$ 229 mil.

– O contrato foi renovado no começo de dezembro e, entre os dias 13 e 29, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente notificou a empresa mais de 20 vezes por problemas no serviço, tanto no perímetro urbano quanto no interior.

– A empresa prometeu corrigir as falhas, mas, pelo contrato, possivelmente teria uma redução nos pagamentos referentes a dezembro.

– Na manhã de ontem (dia 3), os funcionários paralisaram as atividades, alegando atraso no depósito do vale-refeição e no pagamento de horas extras. A Prefeitura pressionou a Ecosul, que prometeu efetuar os pagamentos e regularizar o serviço.

– No começo da noite, porém, demitiu todos os funcionários e, na madrugada de hoje, recolheu os caminhões que estavam na cidade. A Prefeitura está rigorosamente em dia com os pagamentos à Ecosul.

– Desde às 6h30 da manhã de hoje, a equipe do governo está reunida tomando providências. De um lado, encaminhou a rescisão do contrato por descumprimento das cláusulas e, ao mesmo tempo, abriu processo para a contratação de nova empresa. A Prefeitura não poderia, por lei, fazer um novo contrato antes de rescindir o antigo.

– A Secretaria do Meio Ambiente divulgou a abertura de nova contratação junto a oito empresas e abriu prazo para que elas e outros interessados se habilitassem até as 15h. Quinze empresas enviaram propostas. A selecionada será definida nesta quarta-feira. Em seguida será feito o contrato.

– Para que o problema não se agrave ainda mais, hoje, a partir das 19h, uma força-tarefa composta por albergados, veículos e funcionários da Prefeitura fará um mutirão de coleta nos locais com maior acúmulo de lixo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here