Grande parte do superávit de 2020 será aplicada nas travessias da rodovia - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A construção de rotatórias para facilitar a travessia da RSC 287, na altura dos bairros Santo Antônio e Panorama, está sendo tratada como prioridade número um pelo governo. O prefeito Gustavo Zanatta determinou a reserva de grande parte do superávit verificado no orçamento de 2020 para a realização das obras no futuro. A diferença entre as despesas e as receitas foi positiva, com um saldo de R$ 6.540.861,00.

Quase metade deste valor deve ser aplicado na simplificação de um projeto da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) concebido em 2019. A sugestão partiu da estudante de Engenharia da Unisinos, Nicole Streit e foi orçada inicialmente em cerca de R$ 3 milhões. A proposta agora está sendo analisada pela estatal, responsável pela via. “Vamos reservar dinheiro para licitar as obras assim que tivermos o sinal verde da EGR”, ressalta Zanatta. Como os orçamentos são do ano passado, talvez R$ 3 milhões não sejam suficientes. “Por isso, vamos guardar um pouco mais”, acrescenta.

Poderá ser aproveitado projeto de formanda em Engenharia do Pareci, que tem custo menor
– Reprodução/FN

A ideia é a construção de duas rótulas fechadas para as travessias (uma em frente ao Posto Ipiranga e outra em frente à Renauto), além da inclusão de faixa de pedestres entre as rótulas e o acréscimo de um redutor de velocidade para tornar a fluxo de pessoas a pé mais seguro. Também está prevista a execução de calçadas no lado do bairro Santo Antônio, para que os transeuntes tenham acesso da rua Ramiro Barcelos para a rua Ernesto Zietlow e vice-versa.

O governo municipal também buscou informações sobre os custos para a construção de passarelas no bairro Santo Antônio e Panorama, conforme sugerido pela Câmara de Vereadores, que devolveu R$ 1 milhão de reais de seu orçamento do ano passado e indicou a aplicação em mais segurança na travessia da rodovia, principalmente para os pedestres. Conforme o vice-prefeito Cristiano Braatz, foi feita uma avaliação prévia, por parte da EGR, que cada passarela, com acessibilidade, teria um custo entre 600 e 800 mil reais.

Centenário e caminhão-pipa

É também do superávit que devem sair os recursos necessários à aquisição de uma subestação de energia elétrica para o Parque Centenário. Há anos que a área de lazer possui problemas de iluminação que limitam seu uso pela comunidade. A oferta não é suficiente para a realização de eventos, o que provoca despesas extras com a locação de geradores. “Precisamos resolver estas demandas com urgência. Até porque, assim que a população estiver imunizada contra a Covid-19, queremos voltar a usufruir o Parque em sua plenitude”, sublinha o prefeito. A subestação está avaliada em aproximadamente R$ 400 mil.

Outra parcela dos recursos extras será aplicada na compra de mais um caminhão-pipa. A Prefeitura possui uma unidade, reformada no ano passado depois do transporte de água contaminada. Embora agora se saiba que o tanque pode ser empregado novamente na distribuição de água potável, o veículo está parado por problemas mecânicos. O conserto deve ser feito nos próximos dias, para socorrer as comunidades rurais que enfrentam problemas de abastecimento.

Contudo, a Administração concluiu que apenas um caminhão não é suficiente para atender a todas as demandas, já que a sua capacidade é de apenas 3 mil litros de água por viagem. A proposta é adquirir uma unidade maior e a previsão de investimento gira entre R$ 350 mil e R$ 400 mil. O restante do dinheiro será aplicado em outras áreas, ainda não definidas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here