Só no bairro Aeroclube mais de 30 casas ficaram destelhadas - Crédito: Prefeitura

Em razão dos muitos estragos causados pelo temporal da tarde de ontem, quinta-feira, dia 25, o prefeito Gustavo Zanatta pode decretar situação de calamidade pública em Montenegro. A medida deverá ser avaliada em reunião na manhã desta sexta-feira, dia 26, quando será feito um levantamento dos estragos decorrentes do vendaval, chuva forte, inclusive de granizo, e alagamentos. O maior problema é a grande quantidade de casas que ficaram destelhadas. Só no bairro Aeroclube mais de trinta residências foram atingidas, mas outros pontos da cidade também tiveram danos. Em caso de calamidade pública, agiliza a compra emergencial de telhas e materiais para poder auxiliar as famílias atingidas. A Defesa Civil, Prefeitura e Secretaria de Habitação têm ajudado através da distribuição de lonas. E nos próximos dias, através de cadastro, os atingidos por destelhamento poderão conseguir telhas junto ao município.

Na Casa do Produtor, recentemente reformada, parte do forro caiu
– Crédito: Prefeitura

Nem a própria Prefeitura escapou das conseqüências do vendaval. No prédio da Prefeitura o vento deslocou telhas no setor da Secretaria da Fazenda. E na Casa do Produtor, que pertence ao município e foi recentemente reformada, parte do forro caiu. A Defesa Civil e Bombeiros seguiram trabalhando durante a noite para atender os inúmeros chamados. “Fomos até 22 horas e continuamos hoje”, diz o coordenador da Defesa Civil, Carlos Ferrão. Além do bairro Aeroclube, que foi o mais atingido, o vendaval também deixou casas destelhadas nos bairros Imigração, Santo Antônio, Olaria, Estação, Germano Henke, entre outros. Conforme a Metsul Meteorologia o vento atingiu 109,9 quilômetros por hora.

Muitas árvores caíram, bloqueando rodovias e ruas
– Crédito: Prefeitura

Durante a noite e hoje pela manhã alguns pontos de Montenegro ainda estavam sem luz. Os bombeiros também tiveram muito trabalho para desobstruir ruas e rodovias interrompidas pela queda de árvores. Só na RSC-124, pelo menos quatro árvores de grande porte caíram sobre a rodovia, obrigando muitos motoristas a desviar o trajeto. Nas proximidades do aeródromo municipal (Aeroclube), o tronco trancou o trânsito em meia pista. Mais em frente, no sentido Montenegro-Porto Alegre, outra grande árvore caída ocupava duas pistas, fazendo os carros terem de passar pelo acostamento. Em várias ruas aconteceram quedas de árvores e galhos, inclusive sobre fios, casas e carros. O vento chegou a arrancar partes de telhados e arremessar a longa distância. No Aeroclube parte de um telhado ficou sobre um poste de luz. Preocupação também com os fios ainda energizados que acabaram caindo. Equipes da RGE trabalham para efetuar os consertos.

Equipes da Defesa Civil, Bombeiros e Secretaria da Fazenda continuam trabalhando, inclusive distribuindo lona para famílias que tiveram casas destelhadas
– Crédito: Prefeitura

Em torno de 50 pessoas, entre membros da Defesa Civil, Secretaria Municipal de Viação e Serviços Urbanos (SMVSU), Secretaria Municipal de Habitação, Desenvolvimento Social e Cidadania (SMHAD), Guarda Municipal e albergados, estão trabalhando nas ruas tentando minimizar os efeitos da tempestade. Além dos danos, prejuízos e transtornos, um rastro de sujeira se espalhou e muitos montenegrinos iniciaram a manhã fazendo limpeza. A preocupação é que o tempo ainda está instável, podendo ocorrer mais chuva hoje.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here