Anúncio ocorreu em entrevista coletiva na manhã de hoje - Crédito: ACOM/Prefeitura
Dia 8 de março, uma segunda-feira, foi a data escolhida para o retorno das aulas na rede municipal de ensino de Montenegro. A decisão foi tomada após uma criteriosa análise do cenário local no que diz respeito à pandemia do novo coronavírus. A queda no número de novos casos e a classificação da cidade na bandeira laranja do mapa de distanciamento social do Estado encorajaram as autoridades locais a divulgar o projeto de retorno. A data de retorno é a mesma das escolas estaduais para facilitar também o transporte escolar, fornecido para ambas as redes e que tem protocolos de segurança e distanciamento.
O anúncio do retorno das aulas ocorreu na manhã desta quarta-feira, dia 3, durante uma entrevista coletiva na Estação da Cultura, com a presença das secretárias da Educação, Ciglia Silveira; da Saúde, Cristina Reinheimer; e integrantes da equipe da Smec, como o diretor do Departamento de Educação, Tiago Vargas; a coordenadora de Educação Infantil, Patrícia Franz; e a assessora especial Riviane Bühler da Rosa. A atividade também teve a presença do prefeito em exercício, Cristiano Braatz.
Ciglia iniciou destacando que a Educação é uma das grandes demandas da população e, neste ano, a retomada das aulas presenciais, paralisadas em função da pandemia, é uma medida essencial. “Estamos, junto com o Centro de Operação de Emergência em Saúde para a Educação (COE-E), avaliando todas as possibilidades dessa volta com a maior segurança possível para todos os envolvidos: alunos, professores, funcionários e famílias”, sublinhou a secretária. A proposta divulgada hoje prevê um retorno gradual, considerando as especificidades de cada etapa do ensino.
Para a Educação Infantil, a sugestão é de volta, primeiro, dos alunos a partir dos três anos (maternal 2 e jardins) com atendimento em um turno. As turmas serão divididas com, no máximo, 50% dos menores em cada sala, além do professor e assistente que trabalharão com as crianças (considerando o tamanho das salas de cada escola de Educação Infantil). A coordenadora Patrícia ressalta que, gradativamente, conforme evoluir a vacinação, o número de crianças que serão atendidas terá aumento, incluindo as do maternal 1 e berçários.
Para o Ensino Fundamental, a proposta é de ensino híbrido, sendo 50% dos alunos atendidos presencialmente em uma semana e a outra metade, na próxima, num sistema de revezamento. De acordo com a Smec, haverá propostas de atendimento remoto na semana em que os alunos ficarem em casa, bem como para aqueles que não quiserem ou não puderem retornar presencialmente. Já nas unidades do interior que funcionam no sistema de unidocência – apenas um professor para mais de uma série – a volta poderá ser de 100% dos estudantes, dependendo do tamanho das salas.
A secretária municipal da Saúde, Cristina Reinheimer, destacou a necessidade de colaboração dos pais para um retorno tranquilo às atividades escolares. Montenegro atualmente experimenta uma pequena queda no número de casos e de mortes de Covid-19 e, para que as crianças não se tornem vetores da doença, precisam ser muito bem orientadas para a prevenção. “É preciso proteger os professores e as famílias”, observa. Quanto ao pedido de inclusão dos professores nos grupos prioritários para a vacinação, ela ressalta que a ordem é definida pelo governo federal e a liberação dos imunizantes depende do Estado. Cristina espera que, até o dia 8, já tenha iniciado a vacinação de alguns grupos de educadores.
Caso uma criança apresente sintomas de Covid-19, os pais devem encaminhá-la para atendimento médico. Havendo um segundo caso dentro da mesma turma, as aulas deste grupo serão suspensas por dez dias e todos os seus integrantes, neste período, serão atendidos de forma remota. Nas 28 escolas da rede municipal, são atendidos em torno de 8 mil crianças. A tarefa envolve cerca de 500 professores, 200 assistentes de escola e 100 auxiliares de serviços escolares.
O prefeito em exercício, Cristiano Braatz, admite que o ideal seria o retorno de todos os alunos juntos, mas isso ainda não é possível. “Vamos trabalhar com limitações para que os riscos, tanto para educadores quanto para alunos e seus familiares, sejam mínimos. Se, com a ampliação da vacinação, for possível avançar, faremos isso, da mesma forma que podem ocorrer recuos caso a pandemia se agrave”, garantiu.
Cuidados especiais
– Os protocolos para o transporte escolar devem ser observados tanto pelos transportadores quanto pelos usuários;
– a Smec está organizando atividades de formação e capacitação para todos os profissionais que atenderão nas escolas, para seguirem os protocolos de segurança que são orientados pelas autoridades sanitárias. Também haverá oferta de equipamentos e produtos para esse fim. Os itens para segurança e sanitização das escolas estão sendo adquiridos;
– àquelas famílias, especialmente de Educação Infantil, que podem seguir com suas crianças em casa, nesse primeiro momento, a Smec solicita essa compreensão. Assim, poderá atender aos que não possuem esta opção;
– na Educação Infantil, a inclusão das turmas de maternal 1 e berçários ocorrerá progressivamente.
Fonte: ACOM/Prefeitura

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here