A Junges Soluções em Limpeza Urbana já faz a coleta de lixo em várias cidades - Crédito: ACOM/Prefeitura
De R$ 406 mil para R$ 308 mil. A partir do dia 1º de março, a Prefeitura Municipal de Montenegro fará uma economia mensal de, no mínimo, R$ 98 mil na coleta do lixo do perímetro urbano e da zona rural. E, apesar do preço quase 25% mais baixo, deve aumentar a quantidade de materiais recolhidos e transportados até Minas do Leão, para deposição final.
Nesta quinta-feira foi assinado o contrato que repassa o serviço para a empresa Junges – Soluções em Limpeza Urbana, com sede em Tupandi, a qual vai fazer o recolhimento do lixo no maior município da região. A Junges foi vencedora de uma licitação para contratação emergencial, pelo prazo de até seis meses. Cinco empresas participaram da concorrência e a ganhadora foi a que propôs o menor preço para as tarefas previstas no edital.
De acordo com secretário municipal de Meio Ambiente, José Clébio Ribeiro da Silva, o objeto da disputa foi praticamente o mesmo das licitações emergenciais anteriores, que vinham sendo realizadas desde meados de 2019. “Desde que o prefeito Gustavo Zanatta assumiu, a gente estava trabalhando para reduzir esta despesa”, informa.
Os R$ 406 mil que constituíam o valor de referência desde 30 de novembro do ano passado vinham sendo ultrapassados, aparentemente, em função do peso. “Em dezembro, a conta fechou em R$ 503 mil e, em janeiro, alcançou R$ 465 mil. Era insustentável”, define Zanatta. “Queremos um serviço de qualidade por um preço justo”, completa.
O plano de trabalho que a Junges vai assumir é praticamente o mesmo que já estava em vigor. Prevê a coleta de resíduos sólidos urbanos e rurais, a coleta seletiva na cidade e no interior e o transporte em carretas até Minas do Leão. Ainda está embutida no custo a manutenção de uma estação de transbordo, local para onde os caminhões coletores levam o lixo até que seja conduzido para a deposição final na Região Carbonífera.
Na formação dos custos, chama a atenção a diferença entre os valores fixados para cada tipo de serviço. Na coleta de resíduos sólidos urbanos, por exemplo, a Junges cobrará R$ 183,22 por tonelada e a empresa anterior recebia R$ 275,04. No recolhimento feito no interior, a queda será R$ 473,66 para R$ 189,31 a tonelada.
Na realização dos serviços, a vencedora da disputa deverá seguir a mesma programação de dias e bairros que já estava em vigor. A expectativa é a coleta média de 1.091 toneladas de resíduos por mês em 26 bairros e 25 localidades do interior. O trabalho deve ser realizado por seis caminhões. Segundo o secretário Clébio, a Administração será criteriosa na fiscalização do contrato. “Neste período do contrato emergencial, vamos trabalhar num novo edital para definir uma empresa que realize o trabalho de forma permanente, incluindo melhorias no serviço”, anuncia.
Sobre a Junges Soluções em Limpeza Urbana
– Atualmente, a Junges é responsável pela coleta, transporte e destinação de resíduos gerados por milhares de pessoas, em regiões como Vale do Caí, Vale do Sinos e Serra Gaúcha.
– São mais de 80 colaboradores diretos, contribuindo para a qualidade de vida da população.
– A empresa já atua nas cidades de Alto Feliz, Bom Princípio, Feliz, Harmonia, Ivoti, Lindolfo Collor, Linha Nova, Morro Reuter e Nova Petrópolis, Presidente Lucena, Salvador do Sul, Santa Maria do Herval, São José do Hortêncio, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí e Tupandi.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here