Excursão da região para o litoral de Santa Catarina encontra pousada em construção após pagar R$ 33,9 mil

Grupo de 68 pessoas, de cidades como Bom Princípio, Harmonia e Vale Real, viajou para o Réveillon em Itapema - Crédito: Reprodução

Está repercutindo o caso de um grupo de pessoas da região, incluindo Bom Princípio, Harmonia, Vale Real e outras cidades, que viajou para o litoral de Santa Catarina e descobriu que a pousada que havia sido alugada com antecedência ainda estava em construção.

No total 68 pessoas participam da excursão e viajou mais de 600 quilômetros para a praia de Itapema, pagando 33,9 mil reais para o período de 28 de dezembro a 1º de janeiro. Só que ao chegar viram que o local não era o que esperavam para comemorar a passagem do novo ano.

No contrato, com data de março deste ano, constavam suítes e refeitórios na pousada. Em vídeo, gravado pelo grupo, se vê que o prédio ainda está inacabado e em obras, inclusive sem piso, encanamentos e rede de energia a mostra, além de tijolos e madeiras espalhados pelo local.

Sem conseguir ficar na pousada em obras, grupo decidiu voltar e no caminho encontrou outro local em Garopaba, pagando novamente
– Crédito: Reprodução

Foi registrado um boletim de ocorrência na Polícia, que instaurou um inquérito. Os turistas também procuraram o Procon, que os orientou a ingressar com uma ação judicial para buscar o ressarcimento do valor. Como não tinha local para ficar, o grupo chegou a iniciar a viagem de volta, mas no caminho conseguiu outra pousada em Garopaba, também no litoral catarinense. Para as novas acomodações cada passageiro teve que pagar mais 200 reais e os organizadores da excursão custeou o restante. Os organizadores citaram que provavelmente terão que vender algum bem para arcar com o prejuízo, mas esperam conseguir o ressarcimento na Justiça.

De acordo com Laís Leichtweis, de Bom Princípio e filha dos organizadores da excursão de Réveillon, em entrevista ao G1 – Portal de notícias da Rede Globo, a proprietária da pousada disse que apenas dois banheiros sociais estariam inacabados, mas que suítes e refeitórios estavam habitáveis, já com móveis e utensílios, além de ar-condicionado. Mas vídeos divulgados pelo grupo mostram uma situação diferente.

A mesma proprietária já tinha atendido a família em uma ocasião anterior, quando era gerente de outro estabelecimento e agora teria montado sua própria empresa, prometendo uma pousada maior e mais confortável. O casal responsável por organizar a excursão já promove viagens há pelo menos 16 anos e é a primeira vez que passa por uma situação dessas.

O Procon alerta para que os turistas procurem por imobiliárias, corretores de imóveis ou hotéis credenciados, além de firmarem contratos especificando o que vai estar disponível no imóvel e estabelecendo multas e ressarcimento no caso de não cumprimento do acordado.

0 Comentários

Deixe um Comentário

6 + 13 =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página