Poderá ser aproveitado projeto de formanda em Engenharia do Pareci, que tem custo menor - Reprodução/FN

Através de uma videoconferência, o prefeito Gustavo Zanatta; o vice, Cristiano Braatz, e secretários municipais conversaram esta semana com o diretor-presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Urbano Schmitt. Também participaram o secretário de Logística e Transportes do Estado, Juvir Costella, e o vereador Felipe Kinn da Silva (MDB). Através deste contato, a nova Administração manifestou seu desejo de encaminhar uma solução para os problemas da RSC-287, especialmente a falta de travessias seguras para os moradores dos bairros Santo Antônio e Panorama.

Em 2019, a estatal elaborou um projeto, pago pelo município em R$ 200 mil, sugerindo uma série de intervenções no trecho urbano da rodovia, entre o cruzamento com a BR 470 (Posto Shell) e o entroncamento com a ERS 411 (antigo Frigonal). O custo, porém, incluindo rótulas e vias laterais, era superior a R$ 20 milhões, o que impediu a realização das melhorias. Em dezembro do ano passado, surgiu uma alternativa, quando a estudante a Engenharia da Unisinos, Nicole Streit, de Pareci Novo, propôs uma versão reduzida do que havia sido concebido pela EGR. Este novo projeto, que teve a supervisão de Fabiano da Silva Jorge, engenheiro e professor de Nicole, foi apresentado diretamente a Gustavo Zanatta e Cristiano Braatz, num encontro agendado por lideranças locais do PT. O valor do investimento foi projetado em cerca de R$ 3 milhões, incluindo duas rótulas no bairro Santo Antônio.

Prefeito e vice participaram de videoconferência com o secretário dos transportes do Estado e presidente da EGR
– Crédito: ACOM/Prefeitura

Segundo Zanatta e Cristiano, a proposta de Nicole é muito mais exequível do que o trabalho apresentado pela EGR, em virtude dos custos. “A ideia, inclusive, é fazer com recursos próprios do Município”, afirma o prefeito, citando que já existem em torno de R$ 1 milhão reservados para este fim. São verbas do orçamento da Câmara de Vereadores, referentes a 2020, que foram devolvidas ao Executivo com o objetivo de serem aplicadas justamente nesta demanda.

Cristiano explica que reunião virtual com o diretor-presidente da EGR teve o objetivo de informá-lo sobre a existência da proposta elaborada por Nicole e discutir a sua viabilidade. “Ficou combinado que vamos encaminhar esta proposta à EGR para análise dos técnicos da empresa. Se eles concordarem com a execução naquele formato, será celebrado um termo de cooperação para que a Prefeitura realize as obras”, afirma. A documentação foi repassada à empresa na tarde desta quinta-feira, por Cristiano; pelo diretor de Captação de Recursos, Rafael Cruz, e pelo gerente de Contratos e Convênios, Sílvio Kael.

Zanatta observa que a conversa com Urbano Schmitt foi muito produtiva e está confiante na formatação de um acordo para resolver o problema. Ele destaca a parceria com a Câmara. “Inclusive, nossa intenção é criar um grupo de acompanhamento desse processo, para o qual certamente convidaremos representantes do Legislativo. Nossa ideia é unir esforços”, anuncia.

Projeto alternativo

No mês passado Nicole Streit entregou projeto de rótulas ao prefeito eleito Gustavo Zanatta
– Crédito: Tina Griebeler/Reprodução

O projeto da estudante Nicole Streit consiste na construção de duas rótulas fechadas para as travessias (uma em frente ao Posto Ipiranga e outra em frente à Renauto), além da inclusão de faixa de pedestres entre as rótulas e o acréscimo de um redutor de velocidade para tornar a fluxo de pessoas a pé mais seguro. Também prevê a execução de calçadas no lado do bairro Santo Antônio para que os transeuntes tenham acesso da rua Ramiro Barcelos para a rua Ernesto Zietlow e vice-versa.

Uma análise de tráfego realizada pela aluna em setembro do ano passado constatou que 1.247 veículos trafegaram na RSC 287 no sentido Montenegro-Portão entre 17h10 e 18h10, o horário de pico. No mesmo intervalo de tempo, porém no sentido Montenegro-Lajeado, 1.224 veículos passaram pelo local. Além disso, 130 pedestres fizeram a travessia durante essa uma hora. Os números, com certeza, seriam maiores se as escolas, fechadas por causa da pandemia, estivessem funcionando normalmente e se não houvesse muita gente trabalhando em casa, no sistema de home office.

Nicole ainda analisou o número de acidentes que aconteceram no trecho entre as duas rótulas previstas no projeto. Nos últimos 10 anos, foram 476 ocorrências (uma média de quase 50 por ano). Dessas, 51% resultaram em algum dano ou até mesmo em morte. Ela comenta que o projeto tem como objetivo principal reduzir o número de acidentes e melhorar a vida da população e de quem trafega por ali regularmente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here