Equipe do prefeito Zanatta conseguiu reverter ações que iriam atrasar ainda mais a conclusão dos trabalhos - Crédito: ACOM/Prefeitura

Moradores da localidade de Faxinal, no interior de Montenegro, deixaram a associação do bairro após um encontro na noite de quinta-feira, 14, com o prefeito Gustavo Zanatta, o vice Cristiano Braatz e secretários municipais, com a esperança renovada. Na reunião tiveram uma posição sobre a situação das obras de pavimentação da estrada Selma Wallauer, de uma forma transparente e estabelecendo um diálogo .

Aguardadas por muito tempo, as obras na via transformaram o que era para ser um sonho em um filme de terror para os moradores. Após receber relatos com vídeos e fotos da comunidade, Zanatta reuniu imediatamente os secretários e a empresa responsável pelo serviço. A equipe da Prefeitura também esteve no local. As respostas para as perguntas começaram a aparecer.

Prefeito e secretários se reuniram com moradores para explicar a situação da obra
– Crédito: ACOM/Prefeitura

Para entender essa história, é preciso voltar no tempo. Em 27 de dezembro de 2019, a Câmara de Vereadores aprovou a adesão de Montenegro ao programa “Avançar Cidades”, do governo federal. Estavam previstos cerca de R$ 7,5 milhões para drenagem e pavimentação de 12 ruas do município. O projeto foi encaminhado para a análise da Caixa Econômica Federal. Só que, antes de ter uma resposta da CEF, o governo anterior solicitou ao Banco, através de ofício com data de 6 de novembro de 2020, a exclusão da parte correspondente à Selma Wallauer, alegando que a obra seria realizada com recursos próprios. E, ainda no ano passado, a empresa Silpav Construções, foi contratada para realizar o trabalho.

De acordo com Anderson da Silva, diretor da Silpav, desde o início, estava claro que o número de canos para a drenagem era insuficiente. Outro aspecto importante é que não havia fiscalização por parte do poder público. O resultado é que, segundo o empresário, a obra “está entregue pelo que foi contratado pela Prefeitura.” A “obra pronta” tem cerca de 30% do total da drenagem feita, sem pavimentação e com buracos abertos, causando perplexidade e indignação na comunidade.

Tão logo o imbróglio foi compreendido pela atual Administração, houve a decisão de reunir os moradores para explicar a situação, detalhadamente, e buscar soluções com agilidade. No encontro, o gestor de convênios e contratos da Prefeitura, Silvio Kael, revelou que havia passado as últimas horas em contato direto com diretores da CEF, buscando a anulação do pedido para exclusão da Selva Wallauer do programa “Avançar Cidades”. Silvio anunciou que felizmente a CEF abriu uma exceção e, através de um novo ofício assinado pelo prefeito Zanatta, iria manter a estrada nos projetos em análise. O documento foi assinado na frente dos moradores.

Agora, a expectativa é de que a CEF aprove os projetos ainda no mês de janeiro. Ai sim, o sonho da estrada drenada e pavimentada deve virar realidade. O presidente da associação de moradores do bairro, Cassildo Chassot, elogiou a iniciativa de estabelecer um diálogo franco com a comunidade, e disse que agora confiava nas autoridades. “Foram muitas promessas e discursos de outros políticos que só nos enganaram. Agora, confiamos em vocês”, disse Cassildo, traduzindo a esperança de cada morador ali representado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here