Mano Pölking leva Tailândia à final da Copa Suzuki

Faz três meses que o montenegrino assumiu como técnico da Seleção Tailandesa e já conquistou um importante título - Reprodução/FN

Em seu primeiro grande desafio no comando da Seleção da Tailândia, o montenegrino Alexandre Pölking, o “Mano”, está se saindo muito. Classificou os tailandeses para a final da Copa Suzuki, que também é conhecida como o campeonato entre seleções do Sudeste Asiático. Nas semifinais, a Tailândia venceu o primeiro jogo na última quinta-feira por 2 a 0 e neste domingo garantiu a classificação para a decisão ao empatar com o Vietnã no jogo de volta em 0 a 0. Na fase de grupos a Tailândia também fez ótima campanha. Os jogos finais, contra a Indonésia, serão na próxima quarta-feira, dia 29, e em 1º de janeiro, ambos às 9h30 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pelo YouTube pelo Aff Suzuki Cup 2020.

O montenegrino montou um time compacto e muito bem armado defensivamente, tanto que não levou nenhum gol em sua primeira competição. Além disso, o esquema tático inclui saída rápida de bola e ataque efetivo.

Mano foi anunciado como técnico da Tailândia três meses atrás, em 28 de outubro, quando teve que interromper as férias em Montenegro. Aos 45 anos, foi o primeiro montenegrino a ser técnico da seleção de um país. “A Tailândia é como a minha casa e amo as pessoas e a cultura desde que cheguei há 8 anos. Agora vou dar o meu melhor para justificar a confiança que me estão a dar. Com o staff, os jogadores, diretores e principalmente os torcedores sei que conseguimos. Foco e trabalho árduo daqui pra frente e vamos lutar pra trazer a Copa Suzuki de volta pra Tailândia”, postou, logo que foi anunciado como técnico. E agora está a um passo desta importante conquista.

Mano trabalha no futebol tailandês desde 2012, já tendo dirigido três equipes locais. Desde 2012 estava a frente do Bangkok United. Antes disso, ainda em Montenegro, era um meia-esquerda de habilidade, tendo jogado em clubes locais como no Montenegro (hoje Riograndense) e no Cantegril. Aos 18 anos, através do ex-presidente do Inter, José Asmuz, fez teste no Benfica, de Portugal. Atuou por meio ano no time B do clube português e retornou ao Rio Grande do Sul, onde defendeu o Ypiranga de Erechim  e em Taquari. Após foi jogar na Alemanha, já que tinha passaporte alemão, devido ao seu avô. Atuou em clubes alemães da segunda e terceira divisões. Mas foi no Chipre, em 2004, que viveu sua melhor temporada como jogador, defendendo o Olympiacos Nicosia e o Apoel.

O montenegrino dependurou as chuteiras em 2008, quando recebeu convite para ser auxiliar-técnico nos Emirados Árabes, atuando ao lado do treinador alemão Winfred Schafer, que substituiu o técnico Tite no Al-Ain. Depois foi com Schafer para o Azerbaijão. Já em 2011 recebeu convite para ser auxiliar-técnico na África do Sul. No ano seguinte voltou a formar parceria com Schafer, como auxiliar na Seleção da Tailândia e treinando a equipe sub-23. Até que em 2013 recebeu o convite para ser treinador de um modesto clube tailandês, o Army United. Conquistou o sexto lugar, que foi a melhor colocação do clube na história. Treinou ainda o Suphanburi e depois para o Bangkok. O clube lutava contra o rebaixamento e não só se manteve na elite, como passou a figurar entre as principais equipes da Tailândia. Foi vice-campeão em 2016 e 2018, além de segundo na Copa da Tailândia em 2017. Mano foi eleito o treinador do ano no país em 2016. Neste ano também treinou o Ho Chi Minh City. E agora encara o seu maior desafio, como comandante da seleção da Tailândia.

Para Mano, o futebol vem se desenvolvendo na Tailândia. O país ainda não disputou uma Copa do Mundo. E quem sabe o montenegrino não consiga realizar esse sonho dos tailandeses.

O montenegrino sempre teve grande apoio da família. O pai Clemente Pölking, falecido em janeiro de 2019, era um grande desportista. Também jogou no Montenegro e chegou a ser convidado para jogar no Internacional, mas sofreu um acidente de trânsito que causou grave lesão no joelho. Depois foi dirigente do Montenegro, hoje Riograndense. Mano é o único filho homem de Clemente e da professora Clarice, tendo como irmãs Alessandra, Fernanda e Bruna. E é casado com a dermatologista Raquel Machado, com quem tem a filha Júlia, de 7 anos. Mano tem mais a torcida de dois filhos que moram na Alemanha: Luma (15 anos) e Mateo (13 anos). E agora além da Tailândia, tem a torcida dos conterrâneos montenegrinos para alcançar sucesso na seleção tailandesa.

 

 

 

0 Comentários

Deixe um Comentário

quatro × quatro =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página