CSG corrige local do pedágio na ERS-240 como na Capela e não em Montenegro

Na tarde desta quarta-feira, dia 27, a Concessionária Caminhos da Serra Gaúcha (CSG) emitiu uma nota de esclarecimento sobre o local anunciado para o pedágio na ERS-240, ressaltando que está previsto para o KM 30,7, em Capela de Santana, e não no 31,7, que seria em Montenegro, próximo da antiga fábrica da Antarctica.

“A Concessionária Caminhos da Serra Gaúcha esclarece que informou equivocadamente o local previsto para instalação do pórtico free flow na ERS-240, em Montenegro, na última terça-feira (26). O ponto correto é no km 30,7 da ERS-240, pertencente ao município de Capela de Santana. A CSG pede sinceras desculpas pela falha”, destaca a nota.

Iniciou a montagem do primeiro pórtico de free flow no Estado, na ERS-122, em Antônio Prado
– Crédito: CSG

Novos pedágios

A CSG informou ontem sobre o início do primeiro pórtico do free flow no Estado e anunciou os outros cinco pontos de novos pedágios no Rio Grande do Sul. O pórtico de Capela de Santana deverá ficar entre as localidades de Segredo e Paquete, próximo das pontes da divisa com Montenegro, onde os equipamentos devem começar a ser montados em novembro deste ano, com previsão de início de cobrança em fevereiro de 2024.

No final de agosto, logo após reunião na Câmara de Vereadores, com a participação da direção da CSG, foi informado que o pórtico free flow poderia ser no trecho de Montenegro, entre as pontes junto ao rio Caí e a rótula do cruzamento da ERS-240 com a ERS-124. O prefeito Gustavo Zanatta, através de reuniões com representantes do Governo do Estado e contatos com lideranças, buscou reverter a situação, defendendo que o pedágio seja instalado em Capela, de preferência no KM 25, como chegou a ser anunciado anteriormente. A concessionária pode alterar o local em até cinco quilômetros sem precisar mudar o contrato. E no próprio anúncio dos seis locais e início da cobrança consta como previsões, sujeito a alterações. Por isso, ainda podem ocorrer mudanças.

O primeiro pórtico do free flow no Estado está sendo instalado no KM 108,2 da ERS-122 em Antônio Prado, na Serra Gaúcha. A montagem da estrutura dos arcos já iniciou e a previsão é que toda a implementação de câmeras seja concluída em outubro. O cronograma das obras pode sofrer alterações, por conta das condições climáticas. Já a fase dos testes começará em novembro e a cobrança das tarifas aos motoristas em dezembro, quando a praça de Flores da Cunha será desativada.

Os outros cinco pórticos do free flow estão previstos para serem instalados em Ipê (ERS-122 – km 151,9), Carlos Barbosa (ERS-446 – km 6,5) e Farroupilha (ERS-122 – km 45,5), também na região da Serra, e em Capela de Santana (ERS-240 – km 30,7) e São Sebastião do Caí (ERS-122 – km 4,4), no Vale do Caí. A expectativa é que em Ipê e Carlos Barbosa os sistemas comecem a ser montados em outubro. Já os pórticos de Farroupilha, Montenegro e São Sebastião do Caí deverão ser instalados em novembro. O início da operação está previsto para 1º de fevereiro de 2024.

O prefeito do Caí, Júlio Campani, também tem lutado para que o pedágio não seja instalado no município e inclusive nesta quarta-feira promoveu uma reunião na Prefeitura com vereadores, lideranças e direção da concessionária. Uma nova reunião deve ocorrer com o Governo do Estado.

Free flow
“O free flow oferece vantagens como agilidade, praticidade, cobrança mais justa aos usuários e diminuição da emissão de gases poluentes dos veículos parados. Por conta da estrutura dos pórticos, ainda reduz o impacto ambiental, evitando desapropriações e obras significativas nos locais onde serão instalados os equipamentos”, explica Paulo Negreiros, diretor-executivo da CSG.

Em uma iniciativa pioneira, o Rio Grande do Sul terá as primeiras rodovias estaduais do país com o sistema free flow (fluxo livre, em português), garantindo o fim das barreiras físicas das praças de pedágio. No lugar das cancelas, serão instalados pórticos de cobrança automática com livre passagem, que fazem a leitura da placa ou etiqueta eletrônica (tag) dos veículos.

Os sensores localizados nas estruturas dos pórticos do free flow são capazes de identificar a altura, largura e comprimento, além da quantidade de eixos rodantes e suspensos e funcionam até mesmo em situações de baixa visibilidade. Autorizado no Brasil pela Lei 14.157/2021, o modelo inédito no Rio Grande do Sul foi anunciado pelo Governo do Estado e pela CSG no dia 17 de agosto deste ano. No Brasil o free flow também é uma novidade, sendo instalado pela primeira vez em três pontos da rodovia Rio-Santos (BR-101) no último mês de março.

Conforme a CSG, atualmente 45% dos usuários já utilizam as cobranças automáticas por meio de tags em praças de pedágio do Rio Grande do Sul, o que demonstra a boa adesão pelo sistema de passagem rápida.

Como ocorre a cobrança da tarifa
Para facilitar o débito da tarifa do pedágio, a recomendação é que os veículos estejam com a etiqueta eletrônica de cobrança (tag) previamente instalada no para-brisa para que o valor seja faturado automaticamente. Empresas como Sem Parar, ConectCar, Veloe, Move Mais e Taggy, assim como instituições financeiras, como Banrisul, Sicredi e Itaú, disponibilizam este serviço por meio dos seus sites e aplicativos. Entretanto, o condutor que não tenha a tag terá outras alternativas para fazer o pagamento do valor do pedágio em até 15 dias depois da passagem pelos pórticos. De forma digital, será possível efetuar o pagamento por meio do aplicativo e do site da CSG. Já no presencial, poderá realizar o pagamento nos totens das cinco Bases de Serviços Operacionais (BSOs) da concessionária e, em um futuro breve, em estabelecimentos conveniados.

Os descontos das tarifas dos pedágios aos motoristas frequentes serão mantidos pela CSG. Os veículos de passeio que utilizarem a tag, além dos 5% já garantidos, poderão chegar, progressivamente, a até 20% de desconto quando passarem pelos mesmos pórticos e sentidos durante um determinado mês.

Caso o valor da tarifa não seja quitado em até 15 dias após a passagem pelo free flow, o proprietário do veículo receberá uma multa por evasão de pedágio, que acarreta no pagamento de R$ 195,23 ao Governo do Estado, além de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Até a conclusão do primeiro pórtico, a CSG e o Governo do Estado realizarão uma campanha educativa à população, informando como funciona o novo sistema free flow, seus benefícios e as formas de pagamento.

0 Comentários

Deixe um Comentário

um × três =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página