Acusado de matar deficiente físico e amigo no Caí é condenado a 36 anos de prisão

Duplo homicídio ocorreu em 25 de setembro de 2022 - Crédito: BM

Foi condenado a 36 anos de prisão, em júri popular realizado ontem, terça-feira, um acusado de duplo homicídio em São Sebastião do Caí. Kelvin Cararo, de 30 anos, já se encontrava preso na Penitenciária de Sapucaia do Sul. A pena deve ser cumprida em regime fechado.

O julgamento iniciou às 9h da manhã, no Fórum do Caí, e se encerrou em torno de 13h15min, sob comando da juíza Priscila Anadon Carvalho. O crime aconteceu em 25 de setembro de 2022, por volta de 21h30, na Rua Mauro Coelho, do bairro Navegantes. Na ocasião, Felipe de Souza, conhecido como “Aracio”, de 40 anos, foi morto a tiros. Ele era deficiente físico, pois não tinha uma das pernas. Foi atingido por disparos na região do pescoço, braço e abdome. E outro homem, de 36 anos, também foi atingido, sendo encaminhado pelo Samu ao Hospital Sagrada Família, do Caí, e depois removido para o Pronto Socorro (HPS) de Canoas. Rafael Rodrigues Machado, o “Rafinha”, não resistiu aos graves ferimentos e faleceu no HPS em 15 de novembro de 2022.

As duas vítimas foram encontradas caídas em via pública. Quatro indivíduos, que teriam efetuado os disparos, fugiram em dois automóveis. A Brigada Militar prendeu um dos acusados em um dos veículos, onde foi apreendida munição e pistola. O suspeito, segundo a BM, admitiu participação no crime e informou que os comparsas teriam fugido em outro automóvel. Eles não foram mais localizados e nem identificados.

A Polícia Civil foi a responsável pela investigação. Para o Ministério Público, o delito foi praticado por motivo torpe, em razão de disputa pelo tráfico de drogas. Já a defesa alegou ausência de provas contra o acusado.

0 Comentários

Deixe um Comentário

dezesseis − 5 =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página