Campani diz que se não tiver isenção para os caienses no pedágio do Areião, vai apelar para a Justiça

Prefeito caiense acompanha a situação do pedágio de Portão, onde a Prefeitura ingressou na Justiça para manter a isenção, que pode beneficiar depois os caienses - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O prefeito de São Sebastião do Caí, Júlio Campani, na última quarta-feira, 1º de fevereiro, concedeu entrevista ao programa Primeira Hora, apresentado por Rogério Mendelsky na Rádio Bandeirantes FM. Na ocasião, o prefeito caiense falou da sua luta contra a instalação da nova praça de pedágio prevista para o quilômetro 4 da RS 122 no bairro Areião. Além de tentar mudar o local do novo pedágio, Campani tem se reunido com representantes do Governo do Estado e do Consórcio Caminhos da Serra Gaúcha (CSG) para garantir a isenção da tarifa para os moradores do Caí.

Tarifas aumentaram 83% no pedágio de Portão, com de carros passando de R$ 6,50 para R$ 11,90
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

A preocupação da comunidade caiense e da região cresceu com o aumento de 83% nas tarifas do pedágio de Portão, desde a última quarta-feira, quando iniciou a concessão e a CSG assumiu as rodovias do bloco 3, incluindo também as praças de pedágio. Em questão de um ano está prevista a desativação da praça de Portão e a instalação do novo pedágio no Areião. “Das novas praças de pedágio, a do Caí é a única em perímetro urbano. Por isso nos insurgimos desde 2021, mostrando a inviabilidade de se instalar no Areião”, declarou Campani, na entrevista. Lembra que o governador deu a palavra que seriam estudadas medidas para não prejudicar a comunidade caiense. “Acredito em uma resposta positiva até o final deste mês de fevereiro. Caso isso não ocorra, buscaremos todas as medidas jurídicas possíveis para impedir a instalação”, declarou.

Movimento dobrou no desvio do pedágio em Rincão do Cascalho e prefeito de Portão prometeu asfaltar todo o trecho
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Campani também está acompanhando o resultado da ação ingressada pelo município de Portão, junto a Justiça, buscando manter a isenção para os veículos emplacados naquele município. A isenção, que ocorria na gestão da EGR, terminou na última terça-feira, o quê motivou o recurso que está sendo analisado pelo Judiciário, inclusive com pedido de manifestação do Governo do Estado e da CSG. Caso a Justiça determine a continuação da isenção, o mesmo tende a acontecer se o novo pedágio se instalar no Areião. “Provavelmente devo ser chamado pelo Governo nos próximos dias para que possam nos apresentar uma proposta sobre o pedágio do Caí. Vou aguardar e analisar. Com base nela vamos nos posicionar. Se o Governo não conceder a isenção, evidentemente vamos buscar um caminho jurídico, que é o único que nos resta, porque o político parece que se esgotou”, afirmou o prefeito para a reportagem do Fato Novo.

Assim como está acontecendo em Portão, onde o prefeito Kiko Hoff anunciou que vai asfaltar o desvio, Campani diz que fará o mesmo caso o Governo não apresente uma proposta que seja viável para os caienses, onde tem 7.675 veículos emplacados. “Vou incentivar os desvios”, diz, se não houver mudanças. Júlio lembrou que já foi feito um asfaltamento, por parte da Prefeitura, na estrada do Passo da Taquara, ligando a RS 122 com a RS 240 em Capela de Santana. E diz que buscará parceria com a Prefeitura de Capela para asfaltar o restante, que fica dentro do território capelense.

0 Comentários

Deixe um Comentário

4 − 1 =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página