Inquieto, depois de aposentado, Roberto viajou por dezenas de países do mundo Arquivo/FN

Com a sua comunicabilidade e entusiasmo, ele se deu bem nas vendas e ganhou bastante dinheiro. Comprou, com isto, a bela casa em que viveu até os seus últimos dias. Ele a comprou de um certo Capitão Bandeira, que foi gerente do depósito de alfafa que o exército teve no prédio em que, depois, funcionou a fábrica Leitz.

Roberto Kayser nasceu em 29 de julho deo 1923, filho de Wilibaldo Kayser e Elisa Lilli Trein. Casou em 1949, com Lia Velten e logo nasceram os filhos Elisa, em 1950, e Guilherme, em 1951.

Seu Roberto sempre gostou de viajar e, quando seus filhos se formaram no ginásio, Elisa em 1964 e Guilherme em 65, ele conduziu as turmas de formandos em excursões para o Uruguai e para o Rio de Janeiro.

Depois de aposentado, ele fez dezenas de viagens internacionais, visitando quase todos os principais destinos turísticos do globo.

Escreveu interessantes artigos para o Fato Novo, contando histórias do passado caiense.

Tendo sofrido de câncer da próstata, ele resistiu à doença por dez anos, sempre com bom humor e dinamismo. Sua saúde piorou há poucos meses, quando teve de ficar acamado. Na segunda-feira dia 16 de novembro de 2009, foi levado ao hospital, mas teve alta no mesmo dia. Na terça-feira deu um último passeio de automóvel, levado pelo seu sobrinho Marcos Wacker. Morreu na sexta-feira, dia 27, aos 86 anos de idade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here