Em torno de 7 mil crianças e adolescentes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental receberão as roupas - Crédito: Prefeitura
A Prefeitura de Montenegro abriu processo para aquisição de uniformes a todos os alunos da rede pública municipal de ensino. Em torno de 7 mil crianças e adolescentes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental receberão as roupas. O projeto de lei que pede autorização para adquirir as peças já está na Câmara de Vereadores e deve ser votado nos próximos dias.
Conforme a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, se a compra for autorizada pelo Legislativo, a entrega ocorrerá diretamente nas escolas, preferencialmente a partir do começo do próximo ano letivo. Cada aluno receberá um conjunto de uniforme composto por oito peças: uma jaqueta, um blusão de moletom, uma calça de helanca, uma calça de malha, uma bermuda, uma camiseta manga curta, uma camiseta manga longa e um par de tênis.
Na justificativa do projeto, o prefeito Gustavo Zanatta cita alguns objetivos da compra dos uniformes. “Queremos proporcionar maior integração entre os alunos, o fortalecimento da cidadania, a garantia da isonomia e facilitar a identificação, garantindo, desta forma, a segurança dos estudantes”, aponta.
A secretária municipal de Educação e Cultura, Ciglia da Silveira, explica que o uso dos uniformes será recomendado, mas não obrigatório. “Caso os responsáveis pelos alunos não queiram receber o conjunto de peças deverão assinar Termo de Negativa de Recebimento”, explica. Já aqueles que os receberem precisarão se responsabilizar por sua higiene e manutenção, incluindo pequenos reparos.
Em caso de aprovação do projeto, a Administração fará a licitação para a compra. O valor fixado inicialmente é de R$ 226 mil, mas trata-se apenas de uma referência para iniciar o processo. O total deve alcançar R$ 3,5 milhões. A expectativa é que a distribuição comece na abertura do ano letivo de 2023.
As vantagens do uniforme escolar
– padronização da vestimenta, garantindo a segurança dos alunos;
– inibição do consumismo, pois quando o uso do uniforme não é padronizado, as crianças podem ser expostas precocemente a valores consumistas e distorcidos. Em casos extremos, isso pode reforçar sentimentos de inferioridade e a baixa autoestima;
– promoção da isonomia, pois diminui o risco de comparação entre as crianças, reduz a ostentação e deixa o aluno com menor poder aquisitivo em pé de igualdade diante do grupo, equilibrando as diferenças sociais;
– redução da comparação entre as crianças, pois é “programado” para todos os tipos de corpo, o que diminui até o risco de bullying;
– diminuição de riscos de acidentes. Por ter um tecido flexível, o uniforme confere segurança no exercício das atividades escolares e nas aulas de Educação Física;
– estímulo à disciplina, uma vez que o uniforme ajuda na assimilação de normas e regras;
– promoção do sentimento de pertencimento, de que o aluno faz parte ativa do grupo, favorecendo o desenvolvimento dos aspectos sociais da criança.
Ampliação da creche Gente Miúda
A compra de uma casa, ao lado da Escola Municipal de Educação Infantil Gente Miúda, no Centro, irá ampliar os atendimentos do educandário a partir de 2023. Com o novo espaço, a escola que hoje acolhe a cerca de 300 crianças, poderá receber até 100 novos alunos.
Na última sexta-feira, o prefeito Gustavo Zanatta assinou, no Tabelionato Kindel, a escritura do imóvel, comprado pelo município por R$ 650 mil. A compra havia sido aprovada no ano passado pelos vereadores.
Na justificativa do projeto, o prefeito Gustavo Zanatta ressaltou a responsabilidade do Município em garantir o atendimento na Educação Infantil à comunidade. Hoje existe alta demanda para turmas de zero a três anos nos bairros Centro, São João, Progresso, Rui Barbosa e parte do Ferroviário, atendidos pela Gente Miúda.
Agora, serão realizadas adaptações no imóvel, que será transformado em uma extensão da escola. A secretária de Educação e Cultura, Ciglia da Silveira, a assessora especial, Riviane Bühler da Rosa, o procurador geral do Município, Alexandre Muniz de Moura, o procurador Alberto Vianna, e a vice-diretora da Escola Gente Miúda, Cristiane Lenhardt, acompanharam o prefeito na assinatura.
“Temos uma demanda importante de crianças e, com essa ampliação, conseguiremos atender até 100 crianças a mais, o que é uma grande conquista”, avalia Ciglia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here