Prefeitura de Montenegro vai mudar de prédio

Prefeitura vai se mudar para o antigo prédio da Padaria Kipão (foto), enquanto o Palácio Rio Branco vai ser restaurado - Crédito: Prefeitura

Inaugurado há 100 anos, em 7 de setembro de 1922, o Palácio Rio Branco, sede da Prefeitura de Montenegro, será totalmente restaurado. Com graves problemas de estrutura, telhado danificado, madeirame e aberturas destruídos pelos cupins, a construção é tombada como patrimônio histórico do Município desde 1992, mas nunca passou por uma manutenção adequada. As más condições colocam os servidores em perigo, o que levou a Administração Municipal a decidir pela desocupação dos ambientes mais comprometidos.

Nesta quarta-feira, foi publicado o edital anunciando a locação do prédio que abrigava a Padaria Kipão, na Rua Ramiro Barcelos, 2993, próximo ao cruzamento com a RSC 287 (Trevo do Ipiranga) e da estação rodoviária, para receber várias repartições públicas. O valor é de R$ 28 mil mensais, mas como a estrutura é grande, em torno de 2 mil metros quadrados, será possível fazer uma reengenharia interna e devolver aos proprietários outros quatro imóveis alugados pelo município, que custam R$ 26.794,00.

Palácio Rio Branco será restaurado e Prefeitura mudará de endereço
– Crédito: Prefeitura

De acordo com o chefe de gabinete do prefeito, Renan Boos, a troca de endereço é, antes de tudo, uma necessidade. “O estado em que o Palácio se encontra é um perigo para os funcionários, sobretudo os que trabalham no segundo pavimento”, ressalta. “Não existe acessibilidade e nem saídas de emergência, as goteiras estão em toda parte, há problemas no assoalho e a instalação elétrica está comprometida”, enumera.

Atual prédio da Prefeitura está em condições precárias
– Crédito: Prefeitura

Os setores que vão migrar para o prédio da Ramiro Barcelos são o gabinete do prefeito, as secretarias Geral, de Administração, Obras Públicas, Fazenda e Gestão e Planejamento. Na lista constam ainda o protocolo, o setor de controle interno, a Procuradoria Geral do Município e a Assessoria de Comunicação. As edificações que serão devolvidas aos donos são as que hoje abrigam a Secretaria de Administração (na Ramiro Barcelos), a Procuradoria (na João Pessoa), a Secretaria de Habitação (na Apolinário de Moraes) e a Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo (na São João).

Como a restauração do Palácio Rio Branco será feita em etapas, iniciando pelo telhado, o térreo do prédio e as salas que foram construídas nos anos 80 na parte de trás do complexo receberão os setores que não irão para as novas instalações. Renan explica que a economia aos cofres públicos deve chegar a cerca de R$ 30 mil mensais. “Em alugueis, a economia com a desocupação de quatro imóveis e a locação de um novo praticamente se equivalem. Contudo, vamos gastar menos em água, luz, transporte, telefone, combustíveis e estagiários, pois os setores afins estarão agrupados no mesmo espaço”, justifica.

A previsão é de que as mudanças ocorram num prazo de até 90 dias. Quanto à restauração do Palácio, o primeiro passo será a contratação de uma empresa especializada em patrimônio histórico, para elaboração do projeto e levantamento de custos. Paralelamente, a Administração segue trabalhando para construir o novo centro administrativo, que permitirá o agrupamento de todos os setores num mesmo local. Contudo, esse processo é de longo prazo.

0 Comentários

Deixe um Comentário

onze + três =

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página