Com a concessão, atual pedágio no Portão já poderá ter aumento nas tarifas e cobrança nos dois sentidos até a instalação das novas praças no Caí e Capela - Crédito: Jefferson Bernardes/Agencia Preview/EGR

Nesta terça-feira foi publicado o julgamento da habilitação do Consórcio Integrasul, do Paraná, que venceu o leilão de concessão das rodovias estaduais do bloco 3, incluindo as principais do Vale do Caí e da Serra. Provavelmente na próxima semana será confirmado o resultado e com o cumprimento de todos os requisitos da licitação será assinado o contrato com o Governo do Estado.

Pedágio no KM 4 da RS 122, no Areião (Caí) terá a tarifa mais alta
– Crédito: Fato Novo
RS 240 deverá ter praça de pedágio no Paquete, perto da divisa entre Capela e Montenegro
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Ainda neste ano é provável que rodovias como RS 122, RS 240 e RS 287, todas no Vale do Caí, sejam concedidas para a iniciativa privada. E o pedágio de Portão, antes de ser desativado, já poderá ter suas tarifas elevadas, com cobrança nos dois sentidos e sem direito a isenção para moradores locais, ao contrário do que acontece hoje na praça administrada pela EGR. Depois, conforme o projeto, devem ser instalados novos pedágios no quilômetro 4 da RS 122 no bairro Areião em São Sebastião do Caí, com tarifa de R$ 9,83 e no quilômetro 30 da RS 240, na localidade de Paquete em Capela de Santana, bem perto da divisa com Montenegro e com tarifa estipulada em R$ 7,19.

O deságio no leilão foi de apenas 1,3% em relação aos valores máximos propostos, já que apenas uma empresa participou da licitação. Prefeitos e lideranças do Caí e da Capela protestam contra os altos valores das tarifas e a localização dos pedágios, já tendo ingressado com ações na Justiça e tentam apelar junto aos deputados e governo estadual, mas ainda sem resultado. O Governo alega que somente com a concessão poderão ser realizadas as obras necessárias para as rodovias.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here